top of page
  • Foto do escritorMarcio strzalkowski

Logan


Logan (2017)

Dirigido por James Mangold

Escrito por Michael Green, Scott Frank e James Mangold 

(livremente baseada na obra Old Man Logan de Mark millar)


O filme já começa apresentando um velho, bêbado e cansado acordando em uma limusine que estava sendo roubada. Ele calmamente se levanta ainda bêbado e com sono para encarar a gangue de bandidos e impedir o roubo de seus pneus cromados. Imediatamente um dos bandidos atira bem no meio do peito do velho com uma escopeta calibre 12. O velho cai e este seria o fim do filme.

A câmera mostra um close naquele velho bêbado baleado e jogado ao chão enquanto o filme apresenta tanto o velho quanto o seu próprio titulo: Logan.


E é então que o velho bêbado se levanta, seus ferimentos vão se curando lentamente enquanto garras saem de suas mãos. Imediatamente começa uma briga feia onde aquele velho bêbado apanha pra caralho ao mesmo tempo onde sua selvageria é ainda maior do que a da gangue. E em pouco tempo a gangue sai no mais absoluto desespero deixando membros decepados e mortos para trás, membros da gangue e membros dos membros.


É um bom começo de filme.

Logan é um drama com elementos de ação que saíram dos quadrinhos dos x-men para as telas de cinema. E conta a jornada final de despedida dos atores Hugh Jackman e Patrick Steward dos papeis de Wolverine e Professor Xavier. Foi o canto dos cisnes para a jornada de ambos os atores. Um canto dos cisnes cantado pelo patinho feio, bêbado e brigão que está sendo perseguido por bandidos fortemente armados.


Herói?

Logan conta a trágica história de um valentão cheio de dons incríveis como um fator de cura, de regeneração e de ter garras saindo de suas mãos. Isso pois, ele nasceu como mutante, um ser humano que nasceu com poderes e habilidades que não são naturais aos seres humanos. Dons que imediatamente o deixam acima de qualquer guerreiro mediano pelo fato de que Logan dificilmente será ferido jamais continuará morto. Adotando para si o codinome de guerra de Wolverine (O Carcaju). E mesmo assim, com toda essa capacidade, o Wolverine sempre foi um desajustado que nunca conseguiu se adaptar a noções simples como família, responsabilidade ou tempos de paz em geral. Logan tem mais de cem anos graças ao seu fator de cura e passou boa parte de sua vida intercalada entre inúmeras guerras e a vida como um animal selvagem. Um bicho-homem.


E embora cheio de habilidades e possibilidades, Logan nunca tinha conseguido se adaptar a sociedade e todas as suas experiências sobre família nunca passaram de meras ilusões. Mas isso até ser encontrado por um grande amigo que o colocou em um caminho onde pode finalmente reconhecer um lar, amigos que pode aos poucos reconhecer como a sua família e participou d ações onde realmente pode se reconhecer como um herói. Tempo esse que infelizmente acabou em tragédia e dor. Coisas das quais Logan nunca se recuperou.


O velho Logan não chega nem perto de ser considerado um herói. De fato, é mais fácil considera-lo como um sociopata que não dá nenhum valor a vida dos bandidos, pode ser claramente visto se divertindo quando os mata depois de ficar puto e deveria estar sendo procurado pela policia. De fato, chega a assustar o modo como seus próprios amigos não se importam que ele mate a bandidagem.


O velho valor da amizade

O velho bêbado e cansado Logan vive como motorista de limusine enquanto arranja dinheiro para cuidar de seu velho amigo Professor Charles Xavier, agora nonagenário e com graves problemas mentais. O que por si só já é o triste fim para qualquer ser humano. Mas o problema bem maior é o fato de que Charles Xavier é conhecido como o mutante telepata com a mente mais poderosa do mundo e isso significa que suas crises são capazes de lançar ondas mentais que podem matar dezenas ou até centenas de pessoas de uma só vez.


E Logan cuida dele mesmo que na vida toda nunca conseguiu ser responsável. Um sacrifício em nome da amizade e das grandes oportunidades que Xavier lhe deu no passado. Atitude comparável a um filho cuidar do pai doente no final da vida. Mesmo contando com a única ajuda de seu amigo Caliban (Stephen Merchant) que sofre com uma mutação que lhe deixa completamente vulnerável a luz do Sol. Uma ajuda que precisa de tanta ajuda quanto o velho Xavier.


A verdadeira heroína do filme

As coisas começam a mudar quando Wolverine é encontrado por uma enfermeira mexicana que trás consigo uma menininha calada. Aos poucos somos apresentados a história da pequena menina Laura, que foi praticamente criada desde antes do seu nascimento para ser uma verdadeira arma. A X-23! Praticamente clonada do DNA de Logan e que nunca tinha conhecido a noção de uma família amorosa que lhe desse um caminho na vida diferente da violência com a qual foi criada. Laura foi criada para ser tão selvagem quanto Logan e no decorrer do filme ela vai se mostrar como uma assassina bem melhor, mais inteligente, que sabe socar bem, atirar, dirige melhor e que tem a maior qualidade com a qual o velho Logan não tem como competir: Ela é Fofa!


Eu adoro falar sobre como filmes machistas tem sim espaço para heroínas fodonas e desta vez a heroína deixou o herói no chinelo!!!


Progressismo

Sim, suas obras da literatura e do cinema lidam com um tema politico e filosofico que merece mais atenção. O progressismo, o uso de ciência e experiencias em seres humanos para a criação de armas. Diversos personagens na literatura dos quadrinhos e do cinema são vitimas do progressismo. Experiências com seres humanos sem ética ou moral.


O próprio Logan é uma vitima de experimento progressista. Seu esqueleto é revestido com o Metal Adamantiun, o mais resistente possivel. Uma experiência completamente traumatica que envenena o sangue de Wolverine.


O filme toca em um assunto delicado como a verdadeira história de horror que é.

O progressismo é uma ideologia socialista de esquerda. Utilizar seres humanos para experiências contra a sua vontade é um horror histórico que ocorreu nos regimes fascista, comunista e nacional socialista. Nunca deixando de ser um escandalo em paises democraticos.


Dafne Keen fez um excelente trabalho como X-23. Não tem essa de chamar a menininha de clone!

Usar o DNA de alguém para fazer outra pessoa é a mesma coisa que a natureza faz a Bilhões de anos! O que significa que ela é filha mesmo!


Se experiências progressistas contra a vontade de crianças são um horror inaceitavel.

Então por quê temos que aceitar Ideologia de Gênero?


A enfermeira decide pagar a Logan uma quantia de 50 mil para que ele leve Laura para um retiro de mutantes onde ela pode vive em paz. Mas antes os bandidos acabam a encontrando e matando a enfermeira. Sem ter onde mais procurar pela menina, resolvem visitar o mocó do Logan onde a encontram e isso inicia uma grande fuga para o velho Logan, para a menina Laura e para o professor Xavier.


A jornada

Todo filme de jornada que se preze mistura personagens diferentes na mesma jornada para assim os personagens enfrentarem diversos perigos, situações inusitadas e até mesmo boas risadas para no final eles finalmente entenderem uns aos outros assim como a entenderem a si mesmos. O que acaba caindo perfeito neste filme.


O drama pessoal de Charles Xavier, que foi uma figura paterna e amiga de inúmeros jovens e adultos por toda as histórias dos X-men desde a sua criação em 1963. Mas que está acabando a sua vida de modo miserável enquanto se lembra aos poucos de como seu maior dom acabou condenando a todos aqueles que amava.


O drama pessoal de Logan, que nunca foi um herói por si só e que só se voltou para este lado quando o amigo Xavier o ajudou a se encontrar na vida. Mas que sofre todo o tormento de que todos aqueles que já amou ou se importou acabaram violentamente mortos. E muitos por própria culpa dele.


Com o fim dos X-men, Logan acabou abandonando toda a esperança de felicidade ou mesmo de gostar de alguém de novo.


E o drama pessoal da Laura, a X-23, que nunca conheceu nada próximo de uma família a não ser outras crianças que foram criadas como ela para serem armas vivas. Que aos poucos vai conhecendo um pai que nunca foi pai de ninguém.


Temos assim três figuras diferentes. Xavier foi um verdadeiro pai adotivo para seus alunos, mas que não tem condições nenhumas de cuidar de ninguém. Temos o velho Logan que é um pai biológico que viveu toda a sua vida na violência e que sequer entende o que é ser um pai. E temos na pequena Laura o papel de uma filha quase rejeitada que só quer encontrar o seu lugar neste mundo.


O Punheteiro Biônico e sua gangue de Carniceiros

Donald Pierce (Boyd Holbrook) é o chefe de "segurança" da Transigen. Empresa responsável por produzir novas crianças mutantes para serem usadas como armas de guerra. E sua missão no filme é claramente recuperar ou destruir a X-23 a todo custo. O que claramente significa torturar e matar pessoas inocentes para os seus objetivos.


Para isso, ele faz uso de capturar e torturar Caliban para que ele diga onde estão os três e assim temos a perseguição constante durante o filme todo.


Spoilers!!!

Como bem mostrado no trailer, na sinopse e em todos os filmes dos X-men, Wolverine não é um herói de verdade. De fato, a essência do personagem está muito mais próxima de outros personagens icônicos do cinema como o Tony Montana de Scarface, como o Rambo de Rambo -Programado para Matar ou como o Shane do clássico Os Brutos Também Amam. São personagens que não conseguem se encaixar na sociedade e só sabem seguir na vida mediante a criminalidade e a violência. De modo que não se pode tirar a violência deles...


Na sua essência, Logan não passa de um marginal com grande potencial para fazer o bem para outras pessoas. Mas passou tanto de sua vida dedicada a guerra que realmente perdeu a capacidade de aprender a ser outra coisa.


E assim como Tony Montana, Rambo e Shane; Logan não consegue se adaptar longe da guerra e da violência. Essa é a essência que o diretor entendeu perfeitamente.



Tanto que o diretor conseguiu colocar pedaços e citações do próprio filme Os Brutos Também Amam. O próprio Professor Charles Xavier assiste a este filme na companhia de Laura em um dos poucos momentos calmos do filme.



Wolverine é incapaz de seguir a vida trabalhando honestamente e não conseguiu também seguir por uma vida heroica cheia de responsabilidades. Sua única responsabilidade que resta é para com o amigo Charles Xavier e mesmo assim ele falha completamente em se adaptar para ajudar o amigo em vários momentos e o filme trata disso de forma crua sem mascarar as coisas.



 Os quadrinhos originais dos X-men tratavam de um assunto muito importante do preconceito que as pessoas tem para com quem é diferente. Mas as histórias de Wolverine não lidam muito com isso, mas não por bunda-molice, mas sim porque o Wolverine curiosamente já superou isso há muito tempo. Ele sabe o que ele é e não se preocupa em mudar. 



A despedida dos velhos ícones.

Charles Xavier está completamente diferente da imagem que costumamos ter do velhinho com a mente mutante mais poderosa do mundo. Ele intercala entre momentos de lucidez e loucura devido aos pesadelos constantes do passado e a solidão que o machuca no presente. A interpretação que deram ao velho professor Xavier foi um verdadeiro presente para o ator Patrick Steward, ator shakespeariano marcado por ótimas interpretações. Um Charles Xavier marcado com lucidez, loucura, alegria de esperança e melancolia. 


Em seus momentos finais no filme, acaba por ter um momento de lucidez ao confessar entre lágrimas o grande erro do passado que o levou a dor da perda de todos os que o amavam.


Momento em que ele mesmo olha para a própria cama onde está deitado e afirma com convicção:


- Eu não mereço uma cama tão boa como está!



A despedida final de Wolverine se dá quando ele finalmente percebe que é incapaz de vencer os carniceiros que o perseguem. Mas que mesmo assim ele decide no final usar de todos os meios para tentar salvar os novos mutantes que foram criados juntos com a X-23. E isso significa usar até anabolizante de Mutante para finalmente entrar em ação.


E a despedida final entre Hugh Jackman e Wolverine se dá ao final de mais uma batalha super sangrenta cujo desfecho eu não vou contar...


A maior inimiga de Wolverine

Desde os anos 80 que Wolverine foi marcado por sua maior inimiga: A Falta de Criatividade!


Todos os maiores inimigos do Wolverine são basicamente cópias dele mesmo! A grande maioria possui garras de Adamantium, fator de cura, amnésia e basicamente o mesmo comportamento marginal de valentão que adora a violência contra os mais fracos.


Lógico que toda essa falta de criatividade foi parar nas telas mais de uma vez.



E de certa forma, tudo isso apenas mostra o Wolverine lutando apenas contra si mesmo.



Curiosamente a X-23 foi mais uma personagem criada exatamente desta falta de criatividade e que foi extremamente bem utilizada no cinema. Mostrando exatamente o velho e quebrado Wolverine aprendendo aos poucos a aceitar o papel que o destino colocou para si mesmo.



Esqueci de mencionar algumas coisas?


Pois é, vou deixar vocês curiosos para assistirem o filme ou mesmo o verem de novo...


Por Marcio Strzalkowski

Força e Honra!


Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page