top of page
  • Foto do escritorMarcio strzalkowski

O Estranho Sem Nome


Clint Eastwood, porra!

Interpretando seu primeiro personagem icônico criado por Sergio Leone em um filme dirigido pelo próprio Eastwood! Um pistoleiro sem nome de moral completamente duvidável!

Mais um review machista para um filme machista deste grande ator e diretor!


O Estranho Sem Nome (High Plains Drifter 1973)

Dirigido por Clint Eastwood

Escrito por Ernest Tidyman


O começo deste filme é espetacular pela grande criação de suspense e simplicidade!

Tudo porque apenas mostra o personagem de Eastwood simplesmente andando a cavalo pelo deserto e chegando a pequena cidade de Lago, Arizona, sob um silencio quase absoluto enquanto podemos ver o olhar de todos os moradores se voltando para o estranho. Podemos ver literalmente quase todo o elenco to filme em uma sequencia onde ninguém se atreve a falar nada.


O silêncio e a beleza da cena só termina quando o estranho personagem de Clint Eastwood adentra o Saloon para pedir uma garrafa de cerveja. Tudo o que ele pediu foi para beber cerveja em paz. O que foi o suficiente para que os únicos três valentões da cidade resolvem tentar conversar com o estranho. Então aquele estranho simplesmente pega a sua garrafa de cerveja e vai para o barbeiro fazer a sua barba e tomar um bom banho quando é seguido novamente pelos únicos três valentões da cidade.


E quando provocado pelos únicos três valentões da cidade, o estranho saca a sua arma e os mata a sangue frio dentro da barbearia! E não contente, após sair do barbeiro, ser empurradoe insultado pela mulher mais bonita da cidade, violentamente a arrasta para um curral onde a estupra!

Bom. Uma das marcas registradas de Clint Eastwood como diretor é fazer os seus espectadores questionarem temas delicados!E este filme abordou estes temas por questionar exatamente a atitude bunda-mole dos habitantes daquela pequena cidade. Então parem de ser bundas-moles e admitam que o Estranho Sem Nome também é um dos Vilões do filme!


O que acontece a seguir é que a cidade decide então pedir ajuda para aquele estranho que matou os três valentões da cidade (e estuprou uma cidadã em plena luz do dia) pelo simples motivo de que aqueles três valentões eram os contratados para proteger a cidade de outros três bandidos piores!

O que não é somente a sinopse de mais um filme onde o herói deve proteger uma cidade de malfeitores, mas sim uma critica ao comportamento bunda-mole que nos rodeia. E é nesta situação que o vilão deita rola!



Os habitantes de Lago abandonaram as suas próprias consciências sobre justiça pelo simples fato de serem uma cambada de bundas-moles que não estão dispostos a se defenderem.


E por isso precisam contratar assassinos e estupradores sem nome. E depender do que eles acharem justo ou não...



Este filme me fez lembrar a França, mas não pela bela paisagem ou pela cultura. Mas pela quantidade de Bundas-moles que não querem se defender do terror. Como se tivessem medo até de ter senso critico!


Voltando ao filme, o conselho da cidade entrou em contato com estranho assassino e estuprador para que ele defendesse a cidade. E uma das cenas mais surreais é o fato de que Callie (a bela atriz Marianna Hill), que foi estuprada no dia anterior adentra a conversa e tenta matar o Estranho pelo que ele fez. E lógico que ela foi impedida e afastada. A cidade perdoou o estupro de Callie, mas não pelo fato de ela dar para todos os bandidos ou pelo fato dela ter gozado gostoso e juntinho com o estranho (E ela gozou gostoso e juntinho); Mas sim pelo fato da cidade de bundas-moles precisarem ser defendidos por um assassino e estuprador sem nome.

E pronto! Bundas-moles perdoam crime hediondos como estupro!



Com medo de se defenderem, os bundas-moles de Lago acabam abrindo mão

de coisas simples. Como justiça, direito a propriedade e da própria noção de democracia...


Por serem todos uns bundas-moles, os cidadãos concordam em dar tudo e fazer tudo o que o estranho pedir. Foi então que o vilão resolveu brincar um pouco com os habitantes. Começando com humildes botas de couro, a coisa foi aumentando para se tornar uma grande bebedeira! E tudo com acompanhamento do xerife que fazia questão de dizer aos pobres mercadores "é de graça!".

E lá se foi o direito a propriedade do dono do armazém e do dono do Saloon. Seus direitos se foram assim como a justiça também se foi para a moça que foi estuprada.

Tudo levado com um tom de comédia e deboche que acarretam no xerife entregando seu distintivo pro anão zueiro da cidade! Afinal, depois da justiça e dos direitos, os bundas-moles ainda tinham que deixar a democracia ir embora...


E a partir dai o vilão deita e rola nos habitantes! Confisca uma carroça só pra galera treinar tiro ao alvo, bota todos os hospedes do hotel pra fora e faz uma janta especial só pra ele e para sua convidada de honra; Callie! Que se mostra como verdadeira mulher de malandro deslumbrada com a noite especial de janta.


E lógico que a cidade cheia de bundas-moles deixou isso acontecer...


E para completar a noite, durante o sono, alguns assassinos aparecem para tentar assassinar o nosso vilão. Mas tudo se resolve rapidamente com um bom tiroteio, uma boa explosão e só um ou dois mortos...

E já que a bela Callie resolveu fugir com um dos bandidos. Então era hora da esposa do estaleiro (interpretada por Verna Bloom) ir para o quarto com o nosso vilão...

Lógico, tudo na frente dos moradores da cidade e do bunda-mole do próprio marido dela!


A pobre mulher se encolhe em um canto com uma faca nas mãos esperando pelo pior quando o vilão calmamente se deita na cama. Como se nada estivesse acontecendo...



Foi então que o nosso vilão calmamente explica para a pobre moça que adoraria servi-la, mas que precisava descansar...


Foi o necessário para que a pobre moça resolvesse se jogar para cima de nosso vilão com a faca nas mãos e abusasse dele. Uma legitima e sincera cena de amor canalha.


E não podemos nos esquecer que o marido dela, agora corno manso, ouviu tudo!

Incapaz de se defender, defender aquilo que acredita e até mesmo de defender a pessoa que amou por longos anos de sua vida.

Corno manso e bunda-mole!

Lógico que ela vai abandona-lo!



No final, ele foi pior do que os bandidos que atacaram a cidade!

Se lembram que a cidade era para ser protegida de um grupo de bandidos? Pois bem.

Para começar, eram só três bandidos, eles eram cruéis e mataram algumas pessoas para roubar cavalos e chegar a cidade. Só que se depararam com uma desagradável surpresa.

A começar, a cidade estava toda pintada de vermelho e a placa que dizia o seu nome foi mudado para Inferno!

Os bandidos imediatamente adentram a cidade, que tem até faixa de "bem-vindos". Arrastam o antigo xerife pelas ruas enquanto os habitantes tentam atirar nos três bandidos. Três habitantes foram impiedosamente mortos e o resto foi reunido no velho Saloon.

Mas e o nosso vilão?


Ele sumiu durante o dia e só apareceu durante a noite. Fazendo questão de capturar um dos bandidos e chicoteá-lo até a morte. Uma boa e demorada surra com um grande chicote...


E assim começa o embate final entre O Estranho Sem Nome e os outros dois vilões do filme.

E eu não vou contar o final só pra deixar todos os meus 5 leitores com vontade de ver o filme mesmo!


Mas encerro explicando que o filme é a síntese de como a bunda-molice pode ser prejudicial para toda uma sociedade. Nosso vilão é carismático, eventualmente faz algo de positivo e o seu objetivo era nobre. Mas as suas ações foram baixas e brutais! O filme obriga o espectador a exercitar o seu senso critico.

E sem o seu senso critico, você acaba feito um bunda-mole que pode vir a achar que facínoras como Lampião ou Chê Guevara são heróis. Aqui o velho Clint interpreta um vilão tão ou mais cruel do que Scarface ou Michael Corleone. Com a diferença de que ele não precisou montar uma máfia para exercitar as suas ações. Assim como ele também tem momentos de educação, bondade e bom humor com algumas pessoas, ele é carismático e o publico tem que lidar com isso...


Por Marcio Strzalkowski

Força e Honra!

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page