top of page
  • Foto do escritorMarcio strzalkowski

Aliens - O Resgate

Filme clássico com uma heroína que vai contra o que prega o feminismo? Sim!

Aviso de filmes de terror! Apague as luzes, coloque uma musica e entre no clima para a leitura!



Aliens – O Resgate (Aliens 1986)

Dirigido por James Cameron

Escrito por David Giler, Walter Hill e pelo próprio James Cameron


AVISO!

Para apreciar esta obra com poder máximo, fiz questão de assistir a versão do

diretor com diversas cenas que foram excluídas e explicam pontos chave do filme!

Recomendo o mesmo!


A primeira cena mostra um objeto no espaço difícil de se identificar até ele lentamente

chegar perto da tela e entendermos que é uma nave. O interior quieto e úmido revela

apenas sombras de objetos até que uma tela se inicia no computador. Um barulho alto

pode ser visto com chamas e só no final percebemos se tratar de um maçarico cortando

a porta. Formas humanas podem ser vistas entrando na nave. Eles se aproximam de um

tubo de vidro úmido e em um único gesto de passar a mão, revelam que lá dentro tem

uma mulher.


Este único inicio de filme já tem mais tensão e suspense do que todas as continuações

dessa série juntas! Uma continuação de um clássico que o ultrapassa de todas as formas,

expandindo o universo do que foi criado no filme. Se o original Alien já era assustador,

aqui, o medo já começa ao colocar uma única letra para multiplicar o horror. Pior que

Alien, só Aliens!


Quem é Tenente Ripley?

Tenente Ripley, no filme original de Ridley Scott de 1979 e escrito por Dan O'Bannon, este

personagem era para ser um HOMEM com tendências homossexuais de sair faísca com o

colega Dallas. Era o personagem chato que ninguém gostava e ninguém obedecia. É sério!

O roteirista Dan O'Bannon colocou um monte de elementos que só no futuro teriam o nome

de lacração. Explicando que o ato do alienígena infectar um ser humano era sim um estupro

homossexual do ser forçando sexo oral em um homem para que o resultado fosse algo ainda

mais monstruoso.


Mas como os produtores acharam que a coisa já estava mais na cara que o facehugger, então

mudaram o personagem para uma mulher. Agora com a atriz da Broadway Sigourney Weaver.

Na continuação, a personagem ainda é a mesma do anterior, mas agora piorada pelo trauma

do que viveu no filme anterior. Porém, com transformações impactantes! A primeira coisa a se

dizer é que a Tenente Ripley ficou dormindo na nave de fuga por inacreditáveis 57 anos! E ficar

sabendo desta verdade despertou na mesma hora o trauma do filme anterior onde ela alucina

que um monstro está saindo de dentro de si mesma!


A segunda transformação é saber que a companhia para a qual trabalha nega todas as ordens

que deram no primeiro filme, colocando toda a culpa do que aconteceu na própria Ripley, mas

sem abrir processo contra ela.


E a última transformação traumática, que fica melhor explicada na versão estendida, depois de

todos os 57 anos em que ficou no sono viajando pelo espaço, Ripley quer saber sobre a sua

filha que deixou com 11 anos. E infelizmente a menina teve uma vida solitária e faleceu bem

velinha e sem filhos. A Tenente Ripley perdeu seu mundo! Uma lagrima no olhar e um carinho

em uma fotografia foram tudo o que restou para Ripley.

Mas calma, que a história ainda vai piorar!


LV-426

Na versão estendida do Diretor, podemos ver sim colonos trabalhando e crianças brincando

enquanto dois funcionários conversam sobre a companhia fazer encomendas de pesquisas as

quais ninguém deve ficar fazendo perguntas.


De fato e curiosidade, o asteroide LV-426 foi oficialmente renomeado para Acheron, nome do

rio místico por onde as almas entravam no reino dos mortos.


Somos apresentados então a uma família de exploradores em seu possante veiculo que parece

um monster truck preparado para andar no terreno rochoso. As crianças conversam sobre

como adoram brincar nos dutos de ventilação. Uma das crianças é uma linda menina de nome

Rebeca, mas é mais chamada de Newt, a salamandra. Sua família são funcionários

exploradores que encontram ruinas alienígenas desconhecidas da humanidade. Eles deixam as

crianças no carro e entram no lugar. Apenas para que a mãe de Newt volte uma hora depois

carregando o corpo de seu marido com um facehugger violentando seu rosto.


De volta a Ripley, depois de acordar de mais um pesadelo, a personagem escuta batidas na

porta para descobrir que o executivo da companhia Weyland-Yutani, Carter Burke, vivido pelo

ator Paul Reiser, avisa a Tenente que perderam todo o contato por semanas com a colônia de

LV-426, carinhosamente chamada de Hadley’s Hope. Ripley também conhece o tenente

Gorman, vivido pelo ator William Hope, que explica que toda a operação será militar e com o

objetivo de eliminar qualquer suspeita de xenomorfos. A própria palavra xenomorfo é usada

para definir os Aliens do cinema, mas se aplica a qualquer forma de vida alienígena.

Ripley é escolhida para ser a consultora da missão, mas ela aceita mesmo para

finalmente enfrentar o seu trauma.


Os Fuzileiros Espaciais

Enquanto trabalhava no roteiro e produção de Rambo 2 – A Missão, James Cameron teve

contato com todo tipo de história dos soldados americanos super bem treinados e cheios de

confiança entrando em corpo a corpo com os comunistas do Vietnã, que nunca se chamaram

de vietcongues. Os comunistas eram inumanos na hora de queimar vilas inteiras e forçar os

mais jovens a entrar em seu exercito. Assim como os xenomorfos, os comunistas se

multiplicavam exatamente através de destruir comunidades inteiras através do estupro, do

assassinato e de forçar as pessoas a fazer parte de seu exercito.


Ripley, que conheceu o alienígena no primeiro filme, é mostrada claramente incomodada pelo

excesso de confiança dos fuzileiros. Esse excesso de confiança também mostra personagens

únicos na saga que nunca mais voltariam. Como o Cabo Hicks, vivido pelo ator Michael Biehn,

reprisando o papel de bom moço e bem intencionado com uma queda pela sobrevivente e que

a ajudará a encontrar forças para se tornar uma heroína. Enfim, reprisando o papel de Kyle

Reese.


Também temos o Soldado Hudson, vivido por Bill Paxton, super confiante e brincalhão com

suas piadas.


Assim como temos uma soldado Vasquez, vivida por Janette Colstein, simplesmente temos

outra heroína cheia de músculos e latina. Vale mencionar, a atriz na vida real é branca feito

papel!

A partir daqui, temos toda a descrição de um comando armado até os dentes com detalhes

das armas.

Uma cena se destaca entre todas, na qual vemos Ripley querendo se exercitar utilizando uma

exo armadura empilhadeira! Um brinquedo fantástico nunca mais mostrado em nenhuma

outra continuação desta saga! A armadura é utilizada para empilhar caixas pesadíssimas! O

que faz o Cabo Hicks e o sargento A. Apone darem uma boa gargalhada de alegria. A cena é

simples e mostra uma Ripley buscando um pouco de auto confiança em algo que sabe fazer

muito bem.


Ao Resgate

Da nave que está no espaço, temos uma nave feita especialmente para fazer a entrada no

planeta em uma queda de quilômetros de altura. O veiculo em si é uma mistura de avião com

helicóptero de ataque com misseis!


Ao chegar em terra, temos a aparição do veiculo M577 APC - Armored Personnel Carrier,

veiculo feito por cima de outro veiculo existente, o Hunslet ATT77 com capacidade de 12

passageiros e dois motoristas. Levando Ripley, o representante da Weyland-Yutani Carter , o

sintético Bishop vivido por Lance Henriksen e o Tenente Gorman que comandará a operação

através das câmeras e comunicadores. Os outros passageiros são o Sargento Apone com seu 6

soldados formando assim a homenagem de James Cameron aos filmes clássicos Os Sete

Magníficos e ao original Os 7 Samurais!


A partir daqui, temos toda uma sequencia de suspense e investigação da colônia que vai se

mostrando como fantasmagoricamente deserta. Uma criação de suspense genuíno que

nenhuma outra continuação de Alien conseguiu fazer.

Existe toda uma investigação dos fatos que vão reconstruindo o que aconteceu na colônia. O

local está uma bagunça ao ponto onde entendemos que houve confronto. Ao abrir a segunda

porta para a entrada na colônia, podemos ver um bom pedaço do teto caído e derretido bem

na nossa frente. É tão sútil que quase ninguém percebe que foi derretido com ácido. De forma

lenta e silenciosa, eles vão descobrindo que os colonos enfrentaram a ameaça com armas de

calibres leves e explosivos. É quando a própria Ripley se comunica com Hicks que ela explica

que as marcas de acido no chão são de matar os xenomorfos!


O Horror sem sangue e tripas?

Quando Ripley, Carter, Bishop e Gorman conseguem entrar no local, conseguem perceber o

cenário de horror sútil. Embora outros filmes de terror tentem criar o horror mostrando cenas

gratuitas de corpos mutilados com sangue para todo lado, aqui não. A equipe entra na ala

médica onde são encontrados exemplares de facehuggers preservados em jarros. Alguns deles

ainda vivos. Nos relatórios, está escrito que alguns deles foram retirados matando as vitimas

no processo. Um horror implícito. Durante semanas, os cientistas da colônia tentaram pegar

xenomorfos ao custo de vidas humanas! Horrores do Progressismo!


A última sobrevivente

O detector de movimento mostra algo próximo da equipe e resolvem investigar. E para a

surpresa geral, tudo o que encontram é a menina Newt. Completamente suja, assustada e

escondida nas ventilações da colônia. A menina entra mais ainda nas ventilações para se

esconder e é seguida por Ripley.


O seu esconderijo tem um pouco de tudo o que ela usou para sobreviver sozinha por semanas.

Ripley consegue pegar a menina que reluta para escapar. E a menina só se acalma quando

Ripley a abraça com carinho que só uma criança sabe reconhecer.


Na hora de fazer perguntas a meninas, o Tenente Gorman não faz a mínima ideia de como

lidar com uma criança. E é Ripley que a trata com calma e carinho, como o chocolate quente

que serve para a criança. Ripley limpa a menina, explica o quanto ela é valente e procura saber

o nome de sua boneca Casey. A menina vai ao poucos dizendo que seu nome é Newt e que

tem um irmão. Mas quando Ripley pergunta sobre onde está seu irmão e seus pais, Newt

explode em trauma.

- Estão todos mortos! Satisfeita, posso ir?


Ripley e Newt são duas sobreviventes dos mesmos monstros. Newt é vivida pela atriz mirim

Carrie Henn que na época tinha só 9 anos. É a primeira atitude heroica de Ripley e tudo o que

ela fez foi resgatar uma menininha amedrontada no escuro.


O Horror

A equipe encontra sinal dos sobreviventes abaixo do reator de terraformação. Parece que

estão todos reunidos e a descida até o local mostra que toda a modificação alienígena do

primeiro filme é sim causada pelos xenomorfos. Que tem uma biologia de sangue muito acido

capaz de fazer com que sejam capazes de dissolver até concreto e aço para se alimentar e

construir um ninho. É quando percebem que o local onde estão entrando em baixo de um

alternador primário de calor, o ninho é embaixo de um reator nuclear que pode explodir! Uma

explosão termo nuclear!


Todas as munições explosivas são recolhidas, com o diferencial de Vasquez, seu companheiro

Drake e Hicks (que repete a preferencia Kyle Reese por espingardas calibre 12!)


A partir do momento onde os soldados encontram o primeiro cadáver, podemos ver o horror

que os alienígenas podem causar. Ripley pede para Newt sentar no lugar do motorista para

não ver os corpos nas telas.


Os xenomorfos preferem não matar as suas vitimas. Capturando as vitimas para prender elas

em estado de incubação. Onde um Facehugger vai cometer um estupro contra elas e assim

nascer outro xenomorfo. Existe aqui um horror visceral. São centenas de pessoas mortas pelos

xenomorfos.


Quando eles encontram uma mulher viva, se aproximam para tentar salvar ela. Mas ela pede

com suas últimas forças que a matem! Quando a vitima começa a se contorcer, seu peito

treme. Ripley sente e revive o pesadelo do que aconteceu na Nostromo. Sangue começa a

escorrer do peito da pobre moça e um xenomorfo irrompe de seu peito matando a mesma!

Os soldados não tem escolha a não ser matar o monstro usando o lança-chamas! E é então

que ouvimos o sibilo dos monstros na escuridão. Lentamente os xenomorfos começam a

despertar. Estavam simplesmente parados nas paredes escuras e ninguém conseguiu ver eles.

Pelo radar de movimento, os soldados percebem que estão cercados.


Somos apresentados silenciosamente aos xenomorfos drones, ou guerreiros! São visualmente

diferentes do xenomorfo do primeiro filme com a cabeça armada de placas mais resistentes e

que parecem bem menos com um órgão sexual masculino!

Os xenomorfos começam a atacar em grupo enquanto poucos fuzileiros começam a atirar! O

Tenente Gorman, mesmo atrás das cameras, fica tão apavorado que nem sabe o que fazer.

Ripley tenta fazer com que ele chame os fuzileiros, mas ele nem sabe como fazer isso. Um a

um dos fuzileiros são atacados.

E é nessa hora que a própria Ripley toma o controle do carrão APC para arrombar o ninho e

resgatar os soldados! O próprio Gorman tenta impedir ela. E em meio ao caos, cenas de

enorme coragem se sobressaem ao horror. Pela primeira vez podemos ver xenomorfos sendo

completamente obliterados por tiros de metralhadora! O soldado Drake é profundamente

ferido pelo acido de um xenomorfo e na hora de fechar a porta do APC, um xenomorfo segura

a porta pronto para morder a cabeça de alguém. Hicks simplesmente coloca a sua escopeta na

boca do bicho e atira sem piedade!


Durante a fuga, um xenomorfo quebra o vidro e tenta matar Ripley, ela puxa o freio

derrubando o feioso e mostra o que significa a sigla APC do veiculo. Significa Apenas Passando

por Cima!


Mudança de estratégia

A derrota mudou tudo. Hudson agora se tornou o soldado mais desesperado, Gorman levou

uma concussão na cabeça e não pode responder por seus atos de covardia, Vasquez agora é só

fúria e pesar pelo amigo e companheiro morto. A mudança agora parte de Hicks, que está no

comando agora, escuta a voz da razão de Ripley! O exato oposto do primeiro filme.


Em Alien – O Oitavo Passageiro, a primeira vez que Ripley bateu o pé, foi para manter o

protocolo de primeiros socorros impedindo a entrada do colega Kane infectado com um

facehugger na Nostromo mesmo que isso o matasse. Por isso, ninguém mais a escutou como

voz da razão até ser tarde demais. Foi uma decisão feita com razão e até covardia pela vida do

colega.


Mas aqui a história mudou. Ripley desobedeceu ordens e corajosamente salvou a vida dos

últimos três soldados. E o plano de Ripley é simplesmente voltar a nave e explodir tudo do

espaço! Plano tão bom que fez o representante da Weyland-Yutani confessar que queria

capturar um alien para usar como arma.

Eles chamam o avião para buscar todos, mas infelizmente os xenomorfos já se infiltraram. A

Cabo Ferro interpretada pela atriz Colette Hiller percebe tarde demais a entrada do

xenomorfo. O avião cai e não tem como voltar a nave. Uma frase de Hudson entra para a

história: Game Over, man!


Planejar e sobreviver

Desta vez, com Ripley no comando por merecimento, toda a tática muda para se manterem

vivos o máximo possível. É importante explicar que na versão do Diretor temos sequencias

fodas com as metralhadoras Turrets que são instaladas nos tuneis e automaticamente atiram

em tudo o que se mover na frente delas! Nos planos, as Turrets são instaladas nos tuneis que

dão acesso a base enquanto tudo é selado com solda!


Enquanto selam tudo, Hicks faz questão de dar um sinalizador para Ripley pelo qual pode

localiza-la. Aqui, a cena é de tal sutileza que percebemos que Ripley e Hicks sentem uma forte

atração além de respeito.


O Resgate da Maternidade

Já está tarde e Ripley decide levar Newt para uma cama quentinha depois de tantos dias de

sobrevivência. Elas conversam sobre como a mãe de Newt lhe dizia que não existiam

monstros, mas que ela estava errada. Na versão estendida temos até uma conserva sobre a

filha de Ripley. Sobre seu bebe de 11 anos que ela perdeu. Ripley então lhe deu o localizador,

que é basicamente um reloginho mágico onde ela sempre saberia onde Newt está! Antes de

dormir, Newt dá um longo abraço em Ripley, que retribui com um beijo carinhoso que só uma

mãe pode dar.


James Cameron, escritor e diretor deste filme fantástico, definiu Ripley como uma grande

heroína do cinema justamente por dar a ela uma motivação que qualquer pessoa pode

entender de todo coração. Ripley é uma mãe que perdeu a sua filha e Newt é uma criança que

perdeu toda a sua família. O laço de amor que aos poucos as une é a força que motiva a

personagem. James Cameron praticamente pegou a personagem chata do primeiro filme e a

re-criou com muito amor e carinho.


Assim como o fez com sua obra prima, Sarah Connor! De O Exterminador do Futuro!


Ellen Ripley e Sarah Connor são heroínas na contramão de tudo o que o feminismo prega! Sem

exageros. As feministas pregam o fim do casamento e o direito a assassinarem seus bebes no

ventre como se fossem liberdades. Como se o seio da família não fosse justamente o primeiro

lugar a dar dignidade e direito para as mulheres. Nunca vi um único filme feminista dar tal

respeito a uma mulher ou tratar uma personagem com tal carinho.


As coisas se complicam mais

Alguns planos e ações foram muito bem traçados antes do clímax. Uma das ações foi

confrontar Carter para deixar claro que os xenomorfos não seriam usados como armas. Uma

das sequencias mais legais aparece na versão do diretor onde as Turrets entram em ação

contra dezenas de xenomorfos onde a munição de 500 tiros de cada Turret é exaurida de tanto

bicho que aparece!


Mas calma, as coisas ainda vão piorar! O Reator mostra que está rachado e liberando grandes

quantidades de energia indicando que pode explodir nas próximas 4 horas!

Sem a munição das Turrets e com o reator pronto para explodir, a única saída é alguém ir

sozinho para uma torre de comunicações e manualmente comandar um novo avião da nave

mãe para fazer o resgate. Tarefa a qual o sintético Bishop se dispõe a fazer entrando em um

cano escuro e sozinho.


E em meio a todo esse desespero, Hicks decide conversar a sós com Ripley para lhe

apresentar sua arma. E embora escrever sobre um homem mostrando a sua arma para

uma mulher tenha duplos sentidos safadenhos, aqui, temos o homem realmente

ensinando a Ripley como ela deve se tornar uma heroína. Ou seja, ensinar a Ripley

como usar completamente o armamento disponível para se defender!

Aperta daqui, engatilha dali, mira aqui, isso aqui é o lança granadas e esse outro é o

lança chamas!


É literalmente o mais próximo de uma cena de amor que Ripley já esteve no cinema e

literalmente ajudou ela a ser uma guerreira!






Quando Ripley volta para o quarto para ver Newt, a criança está escondida com medo

debaixo da cama. E com muito cuidado, Ripley apenas se deita com ela dizendo que

está tudo bem. Assim a criança para de chorar dormindo e se acalma.

O Horror dos Facehuggers

Ripley acorda de seu sono com Newt e percebe que tem algo de errado no quarto. Os dois

jarros contendo os facehuggers estavam simplesmente jogados no chão do laboratório. Vázios!


Sem fazer barulho, ela acorda Newt e explica que as duas estão em perigo, ao que aparece um

facehugger tentando pegar Ripley. Ela se solta e as duas tentam abrir a porta, tentam chamar a

atenção das cameras e tentam até quebrar a janela. Enquanto isso, o facehugger toca o terror

em cenas que nunca mais seriam reproduzidas nas continuações. Os efeitos práticos de 1986

são de arrepiar até hoje!


Ripley e Newt quase são violadas pelos xenomorfos antes dos soldados chegarem.


Eles estão chegando

A luz é cortada, o sensor de movimento dispara, os xenomorfos se aproximam. E o que mais

assusta, os sinais de movimento mostram que eles já entraram na base! Aqui o suspense

cresce pelo fato de que os xenomorfos estão se aproximando, mas não podem ser vistos. As

portas são lacradas e os xenomorfos continuam se aproximando.

Estão a 12 metros...

...10 metros...

...7 metros e não conseguimos ve-los.


Eles entraram pela ventilação do teto! O tiroteio inicia na hora! Todo mundo começa a atirar

menos Newt, por ser criança, e Carter por motivos de ser um covarde que já estava fugindo

trancando as portas.

Hudson, que passou as últimas horas do filme completamente apavorado de medo, enfrenta

os aliens tiro por tiro até ser cercado e morto. A única saída é apontada por Newt, que leva o

grupo nos dutos de ventilação.

No final de tudo, de tanto lutar, Vasquez chega ao fim atirando com sua pistola 45 na cabeça

de um xenomorfo dentro da ventilação. E o acido acerta fundo em sua perna. Gorman volta

para busca-la. Cercados, seguram juntos o pino de uma granada e explodem o máximo

possível de xenomorfos!


A dor de uma mãe

Nunca mais outra continuação de Alien conseguiu ser tão tensa, dramática e assustadora

quanto esta pequena cena onde a menininha Newt cai sozinha no esgoto! A menina escorrega

em uma grade, Ripley consegue pegar na manga de sua blusa. Mas mesmo assim a menina cai.

Então usam o rastreador de movimento para procurar por ela.


Ripley e Hicks fazem de tudo para encontrar a menina antes da fuga, chegam a ver ela. Mas

para pega-la, precisam cortar a grade enquanto o sensor de movimento aponta que os

monstros estão chegando. Enquanto cortam a grade, a cena da menina sozinha no escuro e na

água fria corta o coração.


Podemos ver então a assustadora imagem do xenomorfo emergindo da água atrás da menina.

Seu grito é alto antes de ser abafado. Ripley e Hicks fazem de tudo para tirar a grade, mas

quando Ripley olha na água, a única coisa que consegue ver é a cabeça da boneca de Newt!

Sem uma única gota de sangue, a assustadora sequencia implica horrores!


Podemos sentir toda a dor e sofrimento de Ripley como mãe! E durante a fuga para o avião,

Hicks tem mais um combate com um xenomorfo e fica ferido com o acido.


Descer até o inferno!

Com Newt desaparecida, cabe a Ripley ir até o centro do reator para procurar por ela. Temos

até uma sequencia onde Ripley junta todo o armamento possível, monta um rifle de pulso com

uma lança chamas usando fita durex. Hicks confirma ordem para Bishop, ninguém sai daqui!

Antes de partir, mesmo não sabendo se iria voltar, Ripley olha uma última vez para Hicks e diz:

- Até logo Hicks.

Ao que ele apenas diz seu nome, Dwayne. Olhando nos olhos dele como se fosse a última vez,

ela diz seu primeiro nome: Ellen.

- Não demore muito Ellen.


A sequencia em si é uma mãe descendo até o inferno de elevador para resgatar a sua filha! E

ao contrário do que se espera, nenhum xenomorfo aparece! Ripley até faz disparos de lança

chamas para evitar surpresas.

Por um momento, ela até encontra o sinalizador de Newt jogado ao chão. Lhe corta o coração

pensar que talvez não a encontre. Mas os gritos de Newt, grudada a parede e olhando um

facehugger se aproximar, desperta a coragem de mãe em Ripley. Ripley a encontra e tem que

enfrentar alguns xenomorfos. E correndo carregando Newt no colo, se depara com uma sala

cheia de ovos. Aqui havendo a revelação final do filme. A Rainha Alien!


A Rainha é enorme, pode ter uma altura máxima entre 3 e 4 metros, sua cloaca está

diretamente ligada a um órgão novo preparado para colocar ovos em diferentes lugares. Tem

um par de braços extras e pequenos. E acima de tudo, tem capacidade de pouco raciocínio

mandando em outros xenomorfos! A primeira coisa que Ripley faz ao se deparar com a Rainha

é mostrar que possui um lança chamas! Assim, a Rainha manda os outros aliens sair da sala.

Tudo o que Ripley quer é sair dali de dentro com Newt. Ela vai se afastando bem devagar, bem

devagar mesmo. Mas dai um ovo de facehugger se abre. Ripley imediatamente faz uma cara

de “sério?” e decide mandar fogo em tudo! Ela aperta o gatilho do lança chamas na direção

dos ovos!


É uma cena de ação bonita de se ver! Ripley manda chumbo grosso nos xenomorfos!

Existe a fuga desesperada até o elevador enquanto o Reator começa a explodir! Enquanto isso,

podemos ver a Rainha se levantando de seu trono. Enquanto Ripley e Newt aguardam o

elevador, se escuta o sibilo da Rainha Alien! E a aproximação da Rainha é completamente

aterrorizante! Com o elevador chegando, Ripley ainda dispara o lança chamas na Rainha antes

de entender que não tem mais combustível.


Ripley e Newt conseguem fugir pelo elevador, mas outro elevador desceu bem onde estava a

Rainha.


Ao chegar no lugar onde o avião de Bishop a aguardaria, Ripley não encontra o avião. E para

piorar, com tudo explodindo e o Reator chegando na massa critica. O outro elevador está

subindo trazendo a Rainha! Conferindo a munição do rifle, Ripley percebe que não tem

nenhuma bala para enfrentar a Rainha. Tudo o que sobre é abraçar Newt. No momento final,

uma se apega a outra! O outro elevador chega e ao abrir sua porta, mostra assustadoramente

a Rainha!


Mas Bishop aparece e elas conseguem subir no avião! Conseguindo fugir do inferno antes da

explosão termo nuclear!


De Igual pra Igual

Depois de ir ao inferno e voltar buscando Newt, Ripley finalmente cumprimenta Bishop. Ela

não confiava em um sintético desde Alien – O Oitavo Passageiro. Mas finalmente admitiu que

Bishop era gente boa!


O problema, foi que Bishop percebeu um pingo de algo que caiu bem na sua frente. Olhou

para o chão e percebeu que foi acido caindo. E então sentiu algo atravessar seu peito. Era a

Rainha! Ela o perfurou por trás e o partiu em dois!


Ripley rapidamente mandou Newt fugir e chamou a atenção da Rainha! Quando sentiu que

Newt tinha se escondido, saiu correndo e se trancou atrás de uma porta automática! A Rainha

então se voltou a caçar Newt.


E foi então que Ripley voltou a ação com a exo empilhadeira para brigar de igual pra igual com

a Rainha. E o final desse filme foi a última cereja do bolo!

Clássico!



O último bom filme de Alien!

Nunca mais houve um bom filme de Alien desde 1986! O mais próximo foi o filme Alien Vs

Predador que merece todo o reconhecimento como filme despretensioso e divertido acima de

bostas como Alien³, Alien – A Ressurreição, Prometeus e Alien Covenant!


Em Aliens – O Resgate, Ripley tem o coração de uma mãe e isso lhe deu a coragem para ser

uma guerreira! Uma heroína fodona em um filme machista! Isso é tão verdade que as

continuações são todas um lixo justamente por conseguiram tirar absolutamente tudo dela!


Alien³ praticamente usou todo o manual de feminismo e militância para tirar de Ripley o

namorado guerreiro que a apoiava, a filha por quem foi até o inferno buscar, a feminilidade e a

jogaram em uma prisão onde todos os homens são criminosos e estupradores! E em Alien – A

ressurreição, a personagem nem é a mesma! Apenas uma clone mal feita!


Nunca mais houve um filme de Alien tão reconhecido!

Oscar de Melhores Efeitos Especiais para Robert Skotak, Brian Johnson, John Richardson e Stan

Winston! Oscar de Melho Edição de Som para Don Sharpe! Hugo Awards de Melhor

Apresentação Dramática! BAFTA de Melhores Efeitos Especiais! Saturn Awards para Melhor

Filme, Melhor Diretor para James Cameron, Melhor Atriz para Sigourney Weaver, Melhor Ator

Coadjuvante para Bill Paxton, Melhor Atriz Coadjuvante para Jenette Goldstein, Melhor

Performance por jovem atriz para Carrie Henn, Melhor Roteiro e Melhores Efeitos Especiais!


Por Marcio Strzalkowski - O Salsichão do Amor



16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


bottom of page