top of page
  • Foto do escritorMarcio strzalkowski

Rambo IV


Sylvester Stallone, porra!

Depois de vários anos longe das telas, principalmente por ter provado ao mundo que era um bom ator no recomendado filme Copland, Stallone resolveu voltar e dirigir um filme de ação com um de seus personagens mais conhecidos: Rambo!

E Rambo IV é um filmaço de ação da porra que merece um review Machista!


Rambo IV (John Rambo 2008)

Dirigido por Sylvester Stallone

Escrito por Sylvester Stallone e Art Monterastelli


Um filme maduro

Existe um tabu em Hollywood onde poucas vezes os socialistas podem ser mostrados como os verdadeiros genocidas filhos do cu que são. Filmes que retratam isso como Os Gritos do Silencio acabam sofrendo boicotes, diretores e produtores são ameaçados, e até mesmo Steven Spielberg enfrentou protestos quando mostrou os socialistas soviéticos como os vilões em Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal.


Os únicos socialistas que podem ser mostrados como vilões são os fascistas e os nazistas!

Mas com Rambo, a história é outra e ele matou com vontade em dois filmes! Em Rambo 2 – A Missão, matou socialistas vietcongues e russos em um conflito que certamente resultaria na Terceira Guerra Mundial já no primeiro morto! E anos depois ele ainda repetiu a dose em Rambo 3!

O segredo era fazer filmes de ação sem compromisso com a realidade, feitos para divertir mesmo! Tendo poucas mensagens e muita ação!

Mas Rambo IV já começa com um chute na porta e soco no estômago!

Começando mostrando cenas reais de guerras e atrocidades cometidas pelos socialistas do Khmer Vermelho! Só a abertura do filme já é digna dos famosos documentários do Faces da Morte! De embrulhar o estômago e dão vontade de socar cada professor que defende o socialismo! Rambo IV é um filme sério que denuncia o socialismo na Birmânia (pais socialista desde 1974) ao mesmo tempo em que usa um personagem fictício.


Pau no cu do Paulo Freire!

O filme mostra um dos passatempos favoritos dos socialistas, fazer prisioneiros e mata-los em jogos sádicos! Os socialistas, devidamente disfarçados como uma milícia fictícia, param os seus caminhões próximo a uma plantação de arroz para descarregar alguns poucos prisioneiros. O jogo dos socialistas é simples; Jogar minas terrestres na água onde ninguém pode ver, forçar os prisioneiros a atravessar o campo e apostar em quem sai vivo de lá.

Um jogo sádico que realmente foi praticado em inúmeros países socialistas pelo mundo! Inclusos o Kmer Vermelho de Pol Pot e os socialistas de Mao Tsé Tung (o favorito do Paulo Freire). Os poucos inocentes que conseguem atravessar acabam sumariamente fuzilados.

Um começo triste para um filme que mostra o exercito socialista da Birmânia em ação.


O velho guerreiro aposentado.

Rambo é apresentado como um barqueiro que trabalha em diversas funções na fronteira da Tailândia, é mostrado capturando cobras najas vivas para levar para a vila próxima. E conhecendo um pouco sobre Stallone, é possível que todas as cobras que manejou fossem reais. Temos também um vislumbre de Rambo pescando com arco e flecha, um costume desde o segundo filme.

Na vila onde trabalha, Rambo é encontrado por um grupo cristão que pretende chegar até uma vila na Birmania para fazer o seu trabalho humanitário. Levar provisões, tratamento médico, livros e a bíblia.


Mas Rambo é um velho guerreiro que sabe muito bem que apenas boa vontade não é páreo a força do ódio e da violência dos socialistas. Ele diz que não os levará.

Porém, a noite Rambo conversa melhor com Sarah, a única mulher no grupo e personagem que melhor expressa a esperança de mudar algo, de fazer a diferença e salvar alguém.

Os diálogos entre Sarah e Rambo são um ponto positivo discreto do filme. Afinal são pontos de vista completamente diferentes: Sarah é uma mulher com uma visão idealista de esperança que quer fazer algo de bom ajudando outras pessoas que precisam e isso encanta o velho guerreiro cheio de dor com um passado cheio de violência.

E isto faz com que Rambo aceite levar o grupo a pedido de Sarah...


Rambo – Aquele personagem machista

Durante a noite o barco de Rambo é atacado e abordado por piratas birmaneses. Os piratas fortemente armados querem tudo o que os missionários possuem. Porém descobrem Sarah, a única mulher no grupo. Eles exigem que ela se levante e entre no barco com eles!

Rambo tenta conversar e oferecer tudo o que tem para que a deixem em paz, mas eles insistem além de qualquer argumento.


Qualquer feminista iria afirmar sem nenhuma dúvida que o comportamento dos piratas de querer estuprar e matar uma mulher é machismo. Mas o problema delas é que o verdadeiro machismo está justamente na atitude de Rambo de responsabilidade e respeito pela vida de Sarah!

O que significa que Rambo estuda o melhor momento para finalmente puxar a pistola escondida em sua cintura e atirar o mais rápido possível nos piratas! Com direito a executar o líder pirata com três tiros na cabeça porque estuprador bom é estuprador morto!


Esperança e Desespero

Chegando na vila, existe toda uma alegria. Os missionários trazem o pouco que tem para dividir com quem não tem quase nada. Medicina, cuidados e até aulas de catequese.

Infelizmente, os socialistas logo aparecem e atacam a vila com tudo o que tem

Rambo IV não poupou nada da crueldade dos regimes socialistas nos quais se baseou e mostra exatamente que socialistas sentem prazer em praticar massacres de pessoas inocentes, mostrando até que nem mesmo crianças são poupadas da brutalidade. Isso quando não se tornam escravas sexuais ou tendo o destino de se tornarem crianças-soldado.


Existem cenas revoltantes que estão no filme justamente para denunciar a violência de governos socialistas. É o filme do Rambo mais violento, mas também é um filme maduro e com coragem de mostrar as consequências da guerra.

Temos ataques com morteiros contra civis, crianças sendo mortas com crueldade, uma menina é estuprada no meio do tiroteio e um menino de colo é arrancado dos braços da mãe para ser jogado dentro do fogo.


Uma sequência revoltante e dramática.

Sarah e todo seu grupo de missionários são capturados vivos...


De volta ao inferno

Poucos dias depois, Rambo acorda de um pesadelo contendo lembranças dos outros filmes. Lembranças que mostram a relação de Rambo com o seu passado. Quando percebe que está sendo chamado. É o reverendo responsável pelo grupo de missionários. Ele avisa que perderam o contato com o grupo e que infelizmente só teve a opção de contratar mercenários para tentar resgatar os missionários. E que precisa de Rambo para que ele leve os mercenários para o mesmo locar.

Nessa hora, temos Rambo se preparando para ir. Só que mostrando Rambo abraçando o seu passado e forjando um novo facão! Aceitando o que foi criado para ser.


Rambo leva o grupo de mercenários até o local da vila.

Durante a viagem, Rambo tem contato com alguns jovens soldados, assim como tem contato com um velho soldado das forças especiais que insiste em passar o tempo furioso e tentando arranjar briga logo com o Rambo! Lógico, todo mundo pensa que Rambo não passa de um simples barqueiro.

O que leva os soldados a não aceitarem quando Rambo decide ir junto com eles. Eles partem para o resgate apenas com dois guias locais de rebeldes.


Os horrores do socialismo

O socialismo tem todo um discurso que promete acabar com todas as desigualdades do mundo e salvar as pessoas do capitalismo. Mas a verdade é outra e só serve para enriquecer uma elite sanguinária que mantem todas as outras pessoas na miséria. Fato histórico que ocorreu e se repetiu em todas as nações onde o socialismo foi implementado. União Soviética, China ou Coréia do Norte.

O filme leva os mercenários de volta a vila onde ocorreu o massacre só para que testemunhassem os horrores das táticas de terrorismo. Cabeças decapitadas fincadas em lanças, pessoas enforcadas e cadáveres mutilados abandonados para apodrecer como um aviso da força e da violência dos socialistas.


Os mercenários são interrompidos pelo som de um caminhão. São alguns soldados socialistas que voltaram para a vila trazendo pessoas inocentes e que serviram para o velho jogo onde as pessoas terão que atravessar correndo a plantação de arroz com minas terrestres que não podem ver. E os mercenários só podem olhar sem fazer absolutamente nada ou serão todos descobertos. As minas são jogadas na água e as pessoas são jogadas para correr, morrer e divertir os socialista. Mas desta vez as pessoas conseguem atravessar sem explodir as minas. Os soldados mandam que voltem a atravessar, mas as pessoas estão apavoradas demais para isso. O que leva os soldados a resolverem simplesmente matar as pessoas inocentes.


Um dos soldados socialistas então recebe uma boa flechada nos peito! O que começa uma ótima sequência que mostra Rambo entrando em ação com seu arco e suas flechadas certeiras!

Existe até uma homenagem a uma famosa cena de Rambo 2 quando Rambo explode um socialista com uma flecha. Aqui, Rambo acerta o socialista com uma flecha na cabeça, ele cai por cima de uma mina e explode!

A partir desse ponto, Rambo praticamente toma a liderança do grupo e eles partem para o resgate.


Morrer por nada ou viver por alguma coisa... ...Você decide...

A base dos socialistas onde eles mantém os missionários reféns apresenta uma noite de festa. Onde os soldados estão entretidos para nada menos que quatro moças inocentes forçadas a dançar na frente dos sádicos. Existe a desumanidade no ar enquanto as moças são humilhadas.

Assim como as pobres moças, Sarah também é mantida debaixo do olho de um sádico estuprador que tem planos para ela. A diferença é que Sarah está em uma jaula ao lado da cabana de um oficial, tem mercenários pagos e o Rambo para resgata-la.


Rambo e os mercenários começam a entrar em ação enquanto o filme mostra constantemente os horrores que as quatro meninas são obrigadas a passar. Com soldados jogando bebidas nelas, bitucas de cigarro acesas e subindo no palco para bater nelas.

Uma das meninas é levada por um soldado mas consegue se soltar e se esgueirar por debaixo de uma cabana. O soldado tenta puxa-la de volta e acaba sendo puxado e morto por um dos mercenários. A ação começou!


Os reféns vão sendo resgatados enquanto Rambo procura por Sarah. A qual é tirada de sua prisão apenas para ser arrastada para a cabana de um sádico oficial. Parece o fim enquanto o filme mostra a crueldade dos socialistas violentando pobres meninas no chão e enquanto o chefão e líder dos socialistas se tranca no seu quarto para abusar de um menino. Parece que toda a esperança acabou justamente para aquela que sabia como ninguém defender a esperança. E é então que Rambo entra em cena.


Feministas adoram reclamar do machismo, mas a verdade é que filmes machistas como Rambo 4 que mostram um ideal de como um macho de verdade trata um estuprador! Rambo agarra o estuprador pela garganta com muita força, praticamente o levantando do chão lentamente e apertando com uma mão até que podemos ver filetes de sangue saindo do pescoço do estuprador. Com força então, Rambo puxa e arranca um bom pedaço da garganta do estuprador com a mão! Uma cena verdadeiramente machista!


Que se fodam todos os socialistas

O final do filme mostra os socialistas descobrindo que a sua base foi invadida e que levaram os prisioneiros. Decidindo então perseguir Rambo, os mercenários e os missionários. E a partir desse momento eu não vou falar o final justamente para não dar spoiler e estragar algumas surpresas. Mas vale a pena assistir e voltar a assistir!


Rambo IV foi uma surpresa ao público pelo fato de que todo mundo esperava um filme de ação divertido, cheio de cenas impossíveis e até mesmo com alguns elementos de comédia.

Mas ao invés disso, Sylvester Stallone fez um verdadeiro Drama de Guerra tocando com maturidade no fato de que guerras não são nem um pouco divertidas. Rambo IV abandonou completamente a ideia de cenas impossíveis típicas de cenas de ação e mostrou um Rambo bem mais humano, que abraçou o seu passado sombrio.


Rambo IV mostrou os socialistas como os filhos do cu genocidas que são! Agindo com uma violência baseada em fatos reais que até mesmo grandes diretores como Stanley Kubrick ou Francis Ford Coppola teriam medo de colocar em seus grandes clássicos!


O respeito a mulher

Engraçado como filmes machistas como esse conseguem expressar muito bem o papel de uma mulher. Sarah (interpretada por Julie Benz) é uma personagem que simboliza toda uma ideia de esperança, uma pessoa que só está ali para ajudar outras pessoas. Sendo a única pessoa que conseguiu conversar direito com Rambo em muito tempo e a única que tentou ajuda-lo. Sendo a voz da consciência.

Existe algo muito bonito na relação dela com Rambo, algo platônico e sincero. Forte o suficiente para que Rambo volte ao inferno por ela. Algo que faz Rambo fazer as pazes com o passado e voltar para casa na cena final do filme...


Por Marcio Strzalkowski

Força e Honra!


Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page