top of page
  • Foto do escritorMarcio strzalkowski

O Homem do Norte

Atualizado: 20 de mai. de 2022



“Ouça-me, Odin.

O Pai de todos os deuses. Invoque as sombras de eras passadas.

Quando as linhas que as nornas teciam regiam o destino dos homens.

Saiba da vingança de um príncipe saciada nos flamejantes

Portões de Hel.


Um príncipe destinado a Valhoöll. Ouça-me.”


O Homem do Norte (The Northman 2022)

Dirigido por Robert Eggers

Escrito por Sjón e Robert Eggers




Históricamente Correto!

Tenham medo! Pois este filme causa o horror no coração dos socialistas, comunistas, progressistas, feministas e outros frescos cuja trilha de urina no chão mostra para onde correm os ratos! Durante décadas os frescos tentaram impor suas faltas de valores para formar o politicamente correto e dominar a opinião das pessoas. Para sinalizar falsas virtudes em nome de politica.

Pois este filme não tem nada de politicamente correto. Mas sim de história! É um filme historicamente correto que recria costumes, crenças e batalhas ocorridas há milênios! Como se fosse um livro de história escrito por Bernard Cornwell, Robert Ervin Howard e George R.R. Martin. Onde personagens não podem ser absolutamente bons ou maus por natureza histórica. Onde a Testosterona é vermelha como o sangue. Com heróis selvagens e bárbaros.

Sim, vamos ao review machista e reacionário deste filme maravilhoso.


A Inspiração de William Shakespeare

A história do principe Amlet foi descrita por Saxo Grammaticus no Livro Gesta Danorum. Sobre os reinos Dinamarqueses. O Principe Amlet tem seu pai morto pelo próprio Tio. Sua mãe foi tomada pelo tio enquanto que ele teria que jurar vingança.

Ambas as versões de Saxo quanto a versão de Shakespeare contam a história de como o principe fingiu plena loucura para não ser morto pelo tio. O Jovem principe tinha a loucura perturbadora de só falar a verdade por meio de enigmas que não pareciam ter sentido. Levando o tio a loucura e terminando a trama em tragédia absoluta.


Existem três filmes que se inspiraram nesta história...

Jutland: Reinado de Ódio, 1994

O Rei Leão, 1994

The Northman: O homem do Norte, 2022.


Mas não se enganem. Nenhum destes filmes deve ser interpretado como cópia de Hamlet. Já que nenhum deles possui fragmento do texto de William Shakespeare.



O Principe Amleth

Reino de Hrafnsey . Dinamarca, Anno Domini de 895.


O filme marca a presença fantasmagórica de dois corvos que só os leitores de mitologia nórdica conhecem. São os dois corvos Huginn e Muninn. Espiões do Todo Poderoso Odin!

Um menino observa o mar e comemora a chegada de grandes barcos.

Somos apresentados ao Rei Aurvandil, Rei Corvo Guerreiro!

Interpretado por Ethan Hawke. O Rei chega com festa trazendo grandes riquezas e escravos. Sim, escravos!


Presentes de uma terra distante, atacada de assalto, saqueada e com boa parte da população morta ou escravizada.

E neste cenário, somos apresentados a Rainha Gudrún, interpretada por Nicole Kidman e ao nome do menino. Principe Amleth. Que é visto pelo próprio pai como muito velho para ser cumprimentado como uma criança. Mas não tão velho que não mereça um abraço de urso!


Também somos apresentados ao tio Fjölnir. Interpretado por Claes Bang.

Irmão do Rei Aurvandil.


Assim como somos apresentados ao personagem de Heimir, o palhaço da corte que faz uma boa e velha piada sobre putaria com um pau de madeira! Uma aparição bem vinda de Willem Dafoe!


Neste evento, o Rei Aurvandil presenteia seu filho Amlet com um precioso colar. O qual estava no pescoço de um príncipe que o Rei Aurvandil matou e que agora pertence a Amlet!




Acordar o Filhote

Naquela mesma noite, o Rei Aurvandil explica a sua Rainha Gudrún que a lamina do inimigo lhe devorou o fígado em batalha. Rei Aurvandil está a beira da morte e precisa levar seu filho para rituais religiosos que o iniciaram nas artes marciais. Ele ainda é um filhote aos olhos de seu pai. Incapaz de perceber que seu próprio tio Fjölnir um dia poderá roubar seu reino.


Aqui temos uma reconstrução fiel dos rituais antigos Nórdicos. Fiel e alçada a nível de arte pelo diretor Robert Eggers. Em cena temos apenas os três atores Ethan Hawke, Willem Dafoe e o ator mirim Oscar Novak. Agindo como animais, latindo como cães e uivando como lobos enquanto recitam a sabedoria nórtica.


A ultima lagrima do príncipe Amlet é colhida e só será devolvida quando ele mais precisar dela. Ele toca o sangue de seu próprio pai e nele vê seus antepassados até chegar nele mesmo.




Traição e assassinato

Mal saindo do ritual religioso, Amlet e seu pai Aurvandil são emboscados pelo tio Fjölnir.

Mas um anel roubado não faz de um ladrão virar rei. E muitas vezes o sangue derramado se torna uma serpente cheia de veneno. Se eu citei Shakespeare antes, então volto a citar o escritor de novo enquanto o Rei Aurvandil se despede da vida com uma fala digna do grande escritor.


Amlet testemunha tudo até o ponto onde seu próprio tio Fjölnir pede pela cabeça do sobrinho.


Fugindo pela floresta, Amlet chega a ser capturado por um soldado de Fjölnir, mas rapidamente usar sua adaga para cortar o nariz do soldado.


Em sua fuga para casa, percebe tarde demais que todas as pessoas leais ao seu pai estão sendo massacradas pelos soldados de seu tio Fjölnir. Uma moça é jogada do alto da moradia bem em frente ao jovem príncipe.


Sua mãe, a Rainha Gudrún, é capturada por seu tio e será a Rainha de seu tio. O Massacre só termina quando chegam os súditos de Fjölnir. O príncipe Amlet consegue chegar ao mar. Partindo em um pequeno barco, jurando vingar o pai e libertar sua mãe!



Berserkers

Anos depois, Amlet aparece adulto e treinado como Berserker. A elite dos guerreiros nórdicos!

Agora, Amlet é interpretado por Alexander Skarsgård.


O filme faz uma reconstrução muito boa do que significa ser um Berserker. Ser um Berserker é um privilégio dos melhores guerreiros que iriam ter que carregar.

E isso significa exatamente fazer rituais religiosos a noite inteira usando peles de lobo e incorporando a loucura dos lobisomens para fazer ataques extremamente violentos!

São cânticos de violência e morte enquanto os guerreiros dançavam e se entregavam a loucura!


A sequencia a seguir reconstrói as principais táticas de batalha históricas.

Rituais religiosos e usar as peles dos lobos é uma tática de guerra real. A violência se inicia com uma cena espetacular onde uma lança é jogada contra os Berserkers. Amlet pega a lança no ar e a joga de volta. O uso dos machados também foi usado como ferramenta para subir paliçadas.

As lutas demonstram que os Berserkers estavam enlouquecidos, mas mesmo assim, estavam no ápice da concentração na batalha.


Como demonstrado no filme, os Berserkers eram a elite responsável pelo primeiro ataque e ajudaram a abrir os portões. Ao final da batalha podemos ver Amlet matando um homem rasgando sua garganta com os dentes e uivando no meio do campo de batalha!


Após a batalha, podemos ver as consequências.

Homens e mulheres eram selecionados para a escravidão. As mais belas jovens sofreriam as abominações do estupro. O pior ficava para velhos e crianças que seriam trancados todos na mesma casa e então seriam queimados vivos.




Abrace o senso critico

Não tenha medo de reconhecer que as ações do príncipe Amlet são de genocídio!


O príncipe é um guerreiro de elite em batalhas onde suas ações permitem as maiores atrocidades contra outras pessoas. O filme mostra guerra, morte, genocídio, estupro, escravidão e o assassinato de crianças inocentes. O filme mostra estes eventos de forma histórica. Nunca apoiando ou pedindo desculpas. Ninguém chama Amlet de herói.


O personagem é o vilão de sua própria história.

Abraçar essa verdade é abraçar um senso critico. Faz completa parte da maturidade entender que Amlet não é um exemplo a ser seguido ou copiado.


Mas uma personagem em especial o chama de genocida. Na mitologia nórdica, as videntes são chamadas de Seeress. Profetizas ou feiticeiras. Bruxas. Aqui, a vidente é interpretada pela cantora Björk.




Siga o seu destino de vingança

A Seeress interpretada por Björk então chama o príncipe a ir para longe das terras dos Rus e encontrar seu tio em terras distantes para então se vingar.

A motivação desse destino é que onde o caminho de Amlet acabar, uma nova jornada se iniciará.

Mas para isso, Amlet deverá encontrar a lamina imortal da Draugr. A lamina que se alimenta de sangue. De natureza amaldiçoada e vingativa.

Ao perguntar sobre seu tio Fjölnir, descobre que o tio perdeu o reino de seu irmão. Sendo chamado de Fjölnir – O Sem Irmão! Um homem que lutou e matou o irmão por nada. O Rei Haroldo da Noruega tomou seu reino e que agora Fjölnir é refugiado na Islandia!


Principe Amlet. Genocida, assassino e guerreiro em uma jornada motivada apenas por vingança.


Em seu plano ele mata um escravo, rouba suas roupas, corta o próprio cabelo e marca a si mesmo como escravo. Em seguida ele se joga nas águas geladas para entrar no barco de escravos para ser levado a uma vida de servidão sem ninguém desconfiar. O miserável é um gênio!




Olga da Floresta de bétulas

Interpretada por Anya Taylor-Joy, a primeira coisa que quero falar sobre a personagem é que sua primeira fala no filme é de misericórdia e alento a uma moça que chora a perda da inocência e da liberdade. E antes disso, ela foi vista no filme tentando impedir a violência do estupro e o assassinato de uma criança.


São essas atitudes que definem a personagem em primeiro lugar.


Se existe alguém que merece certa consideração como exemplo, é Olga. Que foi jogada em um mundo de servidão e deveria ter o direito a lutar por liberdade. Em um tempo onde absolutamente ninguém tem direito.



Glíma

O filme mostra, mas não tem tempo para explicar sobre a Glíma, a arte marcial utilizada pelos vikings. São três principais estilos de glíma que são utilizados até os dias de hoje em forma competitiva.


- Lausatök consiste em luta livre com muitos socos e chutes. Também existindo em versão competitiva sem socos e nem chutes.


- Brokartök é mais competitiva como esporte na Islandia e na Suécia. Muito mais técnica.


- Hryggspenna é a glima baseada em força bruta e consiste em jogar o oponente ao chão.


No filme, é demonstrado rapidamente o treino com armas. Históricamente, era ensinado para crianças de ambos sexos em um tempo de violência.




Björnúlfur

Amlet se apresenta com o nome de Björnúlfur, Também conhecido como Beowulf, ou melhor traduzido como Urso-Lobo. Referencia ao personagem anglo-saxão.


Fjölnir vive tranquilo com seus filhos tentando dar o mínimo de educação em seu lar. Aceitando o príncipe sem saber se tratar do filho de seu irmão morto. Com isso, durante a noite, Amlet faz questão de sair e espionar o lugar. Se habituando ao trabalho assim como a descobrir os segredos do lugar. Como as raposas do ártico e o templo de Freyr. Freyr, ou Frej, é o Deus belo e pirocudo da prosperidade e fertilidade.


Um ponto que quero também citar é o fato dos tapetes serem importantes. No Anno Domini de 900, um tapete valeria facilmente mais do que a sua vida. Sendo usados para descrever a história ou só por decoração.


Vale citar que Amlet reencontrou sua mãe, a Rainha Gudrún vivendo bem ao lado de seu tio e agora comum filho pequeno chamado Gunar. Irmão mais novo de Amlet.




A Espada Draugr

Na segunda noite mostrada no filme, Amlet segue a raposa do ártico através de um rio congelado até encontrar um bruxo. O Bruxo interpretado por Ingvar Sigurðsson carrega a cabeça de Heimir, o bobo interpretado por Willem Dafoe.

Com humor negro como a noite, o bruxo conta como Heimir teve sua língua e seus olhos cortados antes de morrer assassinado por Fjölnir.


Através do bruxo, Heimir conta a história da Espada Draugr que será usada na vingança. Uma espada forjada pelos melhores ferreiros com aço desconhecido. Ela não dobra e nem perde o fio. Espada feita de um espirito do mal imortal. Sua natureza de que só pode ser desembainhada a noite ou nos portões de Hel.


Para pegar a Espada Draugr, Amlet deve buscar por ela nas mãos do habitante do tumulo.




Aquele que habita o Tumulo

Como se fosse um filme de terror, Amlet deve adentrar o tumulo onde a Espada Draugr descansa. E dentro do túmulo, descansa o corpo de um guerreiro sentado em seu trono carregando a espada ainda em suas mãos frias. Então Amlet tenta pegar a Espada Amaldiçoada das mãos do cadáver. Despertando o guerreiro do sono da morte.


Como se fosse uma história narrada por Hobert E Howard, Amlet deve enfrentar o guerreiro para ter o direito de possuir a espada!


Uma analise da luta diz muito sobre o guerreiro morto e Amlet. O guerreiro se levanta de seu trono e avança assustadoramente contra Amlet. Ao tentar matar Amlet duas vezes, o guerreiro morto lhe desfere um golpe forte de escudo.

Amlet consegue então usar um escudo para se defender da Espada Draugr, apenas para ver como o escuro foi feito em pedaços!

No golpe seguinte, Amlet consegue se defender com uma espada da tumba, descobrindo que a Espada Draugr consegue cortar o aço.


Jogado no chão, Amlet consegue ver como o guerreiro morto não pode ficar debaixo da luz. Mas o que chama a minha atenção é o fato do guerreiro morto bater de novo em Amlet e não matar ele indefeso no chão. Esse momento deixa claro que o guerreiro está testando Amlet.

Quando Amlet consegue pegar um machado de guerra para lutar, ele atinge o habitante do tumulo para que ele seja banhado pela luz. E atingido como se ainda fosse capaz de sentir dor, deixa Amlet jogar sua fúria. Decapitando o habitante do tumulo com a própria Espada Draugr. E mais do que isso, pegando a cabeça do morto e colocando em sua própria bunda!


Tudo isso para Amlet finalmente olhar de volta para o trono e perceber que este tempo todo ele só ficou parado na frente do morto. Se perguntando se a luta realmente aconteceu ou não.


E a resposta é de enlouquecer. Mas em um contexto de Espada e Magia, a resposta é tanto sim quanto não. No sobrenatural, a luta pode ter ocorrido em outro mundo ou apenas dentro da mente de Amlet. De qualquer forma, sobreviver, decapitar um guerreiro morto e enfiar sua cabeça na própria bunda é todo sinal de violência e ódio que tornam alguém digno da maldita Espada Draugr!



De volta a casa de seu tio Fjölnir, Amlet tem toda a chance de se vingar, mas prefere escolher melhor a sua hora. Observando como Olga reage corajosa contra uma tentativa de estupro. Foi profetizado que Amlet mataria seu tio Fjölnir em um lago de fogo. Tentar matar o tio antes seria inútil.




O jogo de Knatttré

Knatttré é um jogo simples. Dois times com 5 jogadores cada ficam de lados opostos de um campo com porretes gigantes chamados de Knatttré. Quando uma menina jogar a bola para cima, ambos os times vão usar de coordenação para pegar a bola com os porretes e acertar o poste do time adversário marcando um ponto.


Coisa simples.


Lógico que quando a menina joga a bola pra cima, a porradaria come solta!

Quem sobrevive, continua no jogo!


Lógico que ao final do jogo temos Amlet sozinho contra outro guerreiro enorme. Mas para desespero total, quem sai no meio do jogo para pegar a bola e tentar marcar o ponto é o menino Gunar. Ao tentar marcar o ponto, Gunar é atingido pelo guerreiro adversário.


É nessa hora que Amlet se joga na luta contra o outro guerreiro. Enchendo ele de socos e cabeçadas até ele não se mexer mais. Salvar o irmão mais novo foi o mais próximo de heroísmo que Amlet já chegou.




Chefe dos escravos

Por seu ato de bravura ao salvar o jovem Gunar, Amlet recebe em agradecimento o cargo de chefe dos trabalhos escravos e até o direito a escolher uma mulher para ele mesmo.

Lógico, ser o chefe dos escravos não significa ser um homem livre.


Amlet então toma Olga como amante durante a noite.


E mesmo sentindo pela primeira vez o amor de uma mulher, Amlet decide iniciar sua fúria contra o tio Fjölnir. Mas não por liberdade ou por amor. Nunca. Seu plano é de vingança e ódio! E ele inicia durante a escuridão da noite seguinte aquecendo sua Espada Amaldiçoada na carne e no sangue dos soldados amigos de seu primo Thorir.

Despedaçando os soldados como se não fossem nada e os pendurando no formato de uma besta como mensagem.


A mensagem profana contra a vida humana é percebida de diferentes formas pela família de Fjölnir. Thorir chega a culpar os cristãos por um momento. Fjölnir é questionado sobre Freyr. A sacerdotisa então examina os cadáveres e reconhece que a lamina que fez tal barbaridade não é desse mundo.

Mas Freyr, O Deus nórdico belo e pirocudo, não é dado a esse nível de violência. Para isso, deve ser chamado a intervir contra essa violência apenas com a violência moderada de um sacrifício humano.



O Retorno do Berserker

Durante a noite, Amlet utiliza uma tática de guerra real pouco conhecida. Imitar animais para provocar os animais antes de um ataque furtivo é real. Um Berserker é um guerreiro treinado para isso. Se disfarçar e imitar animais é tática de guerra psicológica responsável por diversas lendas conhecidas do sobrenatural. Especialmente lobisomens e outros guerreiros fantasmas.


O resultado é a absoluta loucura do cão de Fjölnir. O leal Rakki ficou tão louco com os uivos fantasmagóricos das raposas do ártico que atacou o próprio dono. Todos os cães se tornaram loucos e precisaram ser mortos.


Enquanto isso, os sacerdotes de Fryer que preparavam um sacrifício são atacados. O sacerdote é estripado, castrado e pendurado nu sobre o altar de Fryer. Enquanto a sacerdotisa é amarrada sobre o altar como novo sacrifício.




Sonhos Negros

Durante a próxima noite, todos os escravos devem montar acampamento com pedaços de pau. Sempre lembrados de que varas não são o mesmo que lanças.

Olga, em seu direito de lutar pela própria liberdade, prepara uma sopa com cogumelos selecionados para as mais horríveis experiências alucinógenas! Pesadelos de fazer homens chorar como crianças.


E enquanto os homens tinham seus pesadelos de alucinação, o príncipe Amlet adentra o quarto de sua mãe para ter o seu próprio pesadelo acordado. Amlet se revela para sua mãe, Rainha Gudrún, e revela que veio salva-la assim como vingar seu pai Rei Aurvandil.


E então temos a grande reviravolta da história.


Sua mãe, a Rainha Gudrún, nunca chorou pela morte de seu Rei Aurvandil ou de seu filho. Na verdade que ela revela, foi ela mesma que pediu pelos assassinatos de Rei Aurvandil assim como de seu filho.

Em um arroubo de hipocrisia, Gudrún acusou o Rei Aurvandil de ser um covarde que só sentia prazer por riquezas, prostitutas e o mercado de escravos. Esquecendo que ela mesma e Fjölnir eram ricos donos de escravos.


E a hipocrisia mostra o caráter de Gudrún neste momento.

Ela nunca foi noiva do Rei Aurvandil, foi escravizada e levada ao Rei. Amlet foi forçado adentro de seu ventre e por isso ela nunca o amou como filho.

E em sua hipocrisia, Gudrún tenta seduzir o próprio filho com o amor que ele sempre sentiu.


Tentando o próprio filho Amlet para que ele mate seu marido e seus filhos para se tornar o novo Rei. Beijando Amlet como um novo amante.


Amlet a afasta. Mas o pesadelo real termina enquanto Gudrún se declara como a morte de Amlet!


Definitivamente a melhor personagem da Nicole Kidman em muito tempo!




O Coração de Thórir

Durante a noite, Amlet matou e arrancou o coração de seu meio irmão Thórir.


O que se segue, além de Gudrún contar a Fjölnir sobre seu filho Amlet, é a captura de Amlet através da ameaça de se matar Olga. Lógico que a captura envolve outra cena de luta brutal.

Amlet é então pendurado depois de espancado e um ponto pode ser observado, a Espada Maldita Draugr estava com ele, mas não pode ser desembainhada durante a luz do dia.


O que se segue então é a reconstrução histórica de um funeral de guerreiro Viking.

O corpo morto de Thórir é colocado em um barco que seria jogado ao mar. Um dos rituais para Odin consiste no sacrifício de um belo cavalo que deve ser decapitado. Seu irmão menor Gunnar faz as honras ao irmão.


Existindo o aspecto do sacrifício humano de uma escrava que deve morrer pelas mãos da sacerdotisa. Durante o ritual, a sacerdotisa é chamada carinhosamente de Anjo da Morte e deve apunhalar a escrava até a vida deixar seu corpo.


Fjölnir e seu filho Gunnar são banhados nus pelo sangue do cavalo decapitado enquanto juram vingança.


Ao fim da reconstrução histórica do funeral, temos a fuga de Amlet.

E sua fuga é a reconstrução histórica do guerreiro ser visitado por Ódin, que sempre pode ser visto com seus 2 corvos que lhe dizem tudo. Amlet é então resgatado e carregado por uma guerreira em um veloz corcel que iria levar o guerreiro para Valhoöll.

A reconstrução desse momento é de uma beleza impar.


Mas Amlet não foi para Valhoöll. Foi resgatado por Olga.




Ser Rude com os Inimigos ou amável com as pessoas amadas

A partir de sua fuga com Olga, Amlet descobre que ela carrega gêmeos em seu ventre.

Mas a noticia boa não é suficiente em um mundo cheio de vingança. Principalmente com seu tio Fjölnir.


O final do filme é sobre tragédia e violência. Sobre pessoas consumidas por dor e vingança. Amlet não é um herói e nem uma figura de feitos que sirvam de exemplo. Sua história é a tragédia de um guerreiro. Se inicia com sangue e terminará em sangue.


O personagem Amlet histórico, o Hamlet de Shakespeare ou o Amlet de O Homem do Norte são personagens diferentes em suas interpretações. Tanto o Amlet histórico quanto Hamlet eram interpretados em suas obras originais como se fingindo de louco para escapar das tentativas de assassinato do tio.

O Amlet de O Homem do Norte não tem isso. Mas o que o filme tem são recriações históricas dos costumes e crenças de sua época. O filme é uma obra de arte e merece consideração.


É de absoluta importância que o leitor entenda o contexto da história e desenvolva senso critico sobre como o filme não retrata um herói. Isso ajuda a entender como personagens como Fjölnir, Aurvandil e Amlet devem ser mantidos longe do poder.


Por Marcio Strzalkowski

Força e Honra!

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page