top of page
  • Foto do escritorMarcio strzalkowski

O último duelo

Crime ocorrido em janeiro de 1386


Um filme maravilhoso que retrata o último duelo em julgamento por um crime contra o corpo de uma mulher. O ultimo julgamento de um tempo onde a definição de machismo era um cavaleiro defender a palavra de sua esposa em uma luta até a morte! Dirigido pelo grande Ridley Scott, diretor responsável pelos melhores épicos de guerra da história do cinema.


O último duelo (The Last Duel 2021)

Dirigido por Ridley Scott

Escrito por Nicole Holofcener, Matt Damon e baseado no livro homônimo de Eric Jager



O Cavaleiro Jean de Carrouges

Interpretado por Matt Damon. Jean de Carrouges é um machista! É um grosso! Ele sabe cuidar melhor de cruzar cavalos do que cuidar dos sentimentos da própria esposa. Ele é brabo, brigão e não leva desaforo pra casa. Não sabe lidar com nenhuma de suas dividas, mas sabe lutar como ninguém. E neste filme ele vai defender sua esposa em uma luta até a morte!


Para entender a história, o filme retorna no tempo antes mesmo de Jean de Carrouges conhecer sua esposa. Durante uma das infinitas batalhas entre França e Inglaterra, Jean de Carrouges se joga contra os ingleses depois de eles cometerem a atrocidade de matar pessoas inocentes apenas para chamar os inimigos. Neste momento, no campo de batalha, podemos ver como Jean de Carrouges e Jaques Le Gris eram irmãos de armas. Um salva o outro da morte.


Infelizmente, toda a amizade vai se desfazendo durante os anos quando Jean de Carrouges começa a perder sua herança e sua história. Seu pai defendeu suas terras por 20 anos e iria deixar o cargo de xerife para seu filho. Mas Jean de Carrouges perdeu o cargo que seria herança e agradecimento por 20 anos da vida de seu pai.

Além disso, também perdeu diversas terras e propriedades por dividas. O que inclui até mesmo o dote de sua esposa. Jean de Carrouges perdeu muito para o antigo amigo Jaque Le Gris, a quem percebeu que era um puxa-saco do poderoso Pierre d'Alençon, interpretado por Ben Affleck.


Até que depois de uma longa viagem, sua esposa lhe conta no quarto que Jaque Le Gris apareceu um dia em sua casa, que a agarrou e a violentou. E então este cavaleiro cheio de defeitos, grosso, briguento e machista vai fazer o certo durante essa história. Defendendo a palavra de sua mulher mesmo que ele morra em um julgamento feito na idade média.


O escudeiro Jaques Le Gris

Interpretado por Adam Driver, a sua versão da história também se inicia falando da mesma batalha onde Jean de Carrouges e Jaques Le Gris lutaram juntos e um salvou a vida do outro.


Em sua versão dos fatos, Jaque le Gris explica como subiu de vida sendo puxa-saco do poderoso Pierre d'Alençon. Tomando conta de suas contas, se dedicando a fazer suas cobranças e até mesmo se envolvendo em orgias junto com Pierre e muitas cortezas. Este comportamento surubeiro o levou a cair nas graças de Pierre, que prontamente começou a conceder favores. Durante o filme podemos ver Pierre concedendo as terras e até o cargo de xerife que seriam de direito de Jean de Carrouges para Jaque Le Gris.


Depois das acusações, o próprio amigo Pierre d'Alençon promete abafar o caso por ele ser primo do Rei. Jaque Le Gris até mesmo fala de encontros e beijos com Marguerite de Carrouges antes do crime. Deixando para o espectador interpretar se o que ele diz é verdade ou não. É importante mencionar que a descrição do ato em si não se afasta em nenhum momento de um crime real.


Marguerite de Carrouges

Jodie Comer é uma atriz com um talento incrível de se comunicar apenas com o olhar. Ela é a voz da razão e explica a sua versão da história, onde não poupa nem o próprio marido machista.


A vida de Marguerite de Carrouges, a vida de uma mulher em 1386, condizia com a ignorância da época. A mulher era como uma propriedade para dar filhos e isso era horrível para as famílias. Seu marido se casou com ela por suas terras e ficou furioso ao perceber que ela não teria terras. Ninguém nem considerou falar para ela sobre amor ou o fato de suas terras de herança terem sido tomadas por Jaque Le Gris.


Marguerite não chegou a ser maltratada. Mas ela entendia que não existia uma conexão emocional com seu marido. Como já explicado, ele sabia melhor tratar das cruzas de seus cavalos do que de dar carinho a sua esposa.


Ela não chegou a conhecer o lado guerreiro do marido. Não viu nada sobre a batalha do inicio do filme, nada sobre a batalha da Escócia que o deixou o marido quase morto. Ela não sabia de nada da história de Jean de Carrouges e Jaque Le Gris. Ela nem sabia que Jaque Le Gris roubou o seu marido, o seu pai e até ela mesma quando conheceu o homem. Ela conta que Jaque Le Gris tentou fazer pequenos avanços contra ela, ela falou com outras mulheres sobre o mesmo, elas o elogiaram e ela até concordou. Mas não houve nada mais do que isso até o dia do crime.


E sua descrição do crime condiz com alguém que apenas viu o criminoso apenas uma vez. Jaque Le Gris aproveitou que todos haviam viajado para invadir a sua casa falando de amor. Ela tentou tirar ele da casa, tentou mandar ele embora. Enquanto ele a forçou no quarto e praticou um dos crimes mais brutais contra o ser humano.


Consequências

O que aconteceu com Marguerite deixou sequelas traumáticas na pobre moça. Isso fica evidente na atriz que sabe se comunicar apenas com o olhar. De repente, seu olhar se tornou sem vida e a atriz tem lapsos de tremer que a acompanham até o final do filme. Um toque que poucos percebem.


No entanto, ela procurou a ajuda do marido. Que num lapso de grossura, mandou ela para a cama pois, nenhum outro homem seria o último a se deitar com ela. Mesmo todo errado, Jean de Carrouges apoia a esposa contra todas as acusações erradas vindas até mesmo da igreja.


A partir do ponto onde seu marido decide apoiar a esposa, a versão dela sobre os fatos também inclui o julgamento de todos os lados. Principalmente da mãe de seu marido.

A Igreja tentou julga-la perguntando se ela sentiu prazer com o ato. Mas ela não sentiu. A amiga que contou que Marguerite teria mencionado Jaque Le Gris. Mas isso não justifica. A tentativa de afirmar que tudo foi um sonho de Marguerite. Mas talvez a pior revelação seja da mãe de seu marido. Que jogou muito de sua fúria na nora que denunciava um crime muito humilhante. Isso pois, a própria mãe de seu marido também havia sido estuprada mais jovem. Mas teve que ficar em silencio.


O Ultimo Duelo

Todo o contexto do duelo vem de um tempo onde homens machistas estavam dispostos a lutar e a morrer por um pouco de justiça para mulheres. Isso é machismo e existe até hoje!

Eu agradeceria de todo coração se em algum momento da história da humanidade alguma mulher tenha estado disposta a lutar a até a morte por um homem vitima do mesmo crime.


Marguerite de Carrouges é colocada em uma pira para o caso de seu marido morrer do duelo. A morte do único homem a acreditar e defender ela define que ela está mentindo e que deve ser sentenciada a morte na fogueira! Eles chegaram a ameaçar que uma mulher pode levar de 10 a 20 minutos queimando na morte mais dolorosa e agonizante do mundo. Marguerite de Carrouges e seu marido Jean podem até brigar por enfrentarem a morte. Mas nenhum volta atrás no que diz.


O Duelo recebe o tratamento que mistura um tribunal com um circo.

E sem dar spoilers, estamos falando de um filme de Ridley Scott. Homem que nos entregou grandes filmes de guerra como Gladiador; 1942 – A Conquista do Paraiso; Falcão Negro em Perigo e Cruzada.

Lógico que o duelo em si é um show de pesquisa histórica e a reprodução gráfica do que se esperar durante um duelo até a morte em 1386. Temos lanças, machados, espadas, maças e chega ao ponto dos combatentes saírem no soco!


Definitivamente um filme que merece a sua atenção.



Como denunciar casos de estupro e de falsa acusação de estupro

É importante explicar que tanto estupro quanto falsa acusação de estupro são crimes hediondos equivalentes. Pessoas inocentes tem suas vidas destruídas em ambos casos.


Aqui vão dicas interessantes para se evitar ambos casos:


- Consiga ajuda

Lembre-se, pedir ajuda também é uma forma de coragem. Uma situação traumática deve ter a ajuda de pessoa de confiança. Mãe, pai, irmã, amigas e amigos são bem vindos.


- Tente gravar com o celular

Gravar uma agressão, um ato de violência sexual ou mesmo uma falsa acusação pode ajudar a resolver o caso identificando quem perpetrou a violência. O ato de retirar o celular do bolso e começar a gravar pode até mesmo fazer a pessoa desistir da violência.


- Exame de corpo de delito

Vá para o hospital se ocorrer qualquer tipo de violência. É importante contar ao médico tudo o que aconteceu mesmo que tenha que chamar os atendentes e falar em privado antes. Tudo o que o médico escrever em seu prontuário de atendimento já é o seu exame de corpo de delito. Restando apenas apresentar no Instituto Médico Legal.


- Se possível, coloque toda a roupa que estava usando em uma sacola plástica

A roupa usada no evento pode ser colocada inteira em sacola plástica e apresentada como evidência. Podendo conter sangue, sêmen, cabelos ou outras evidências que ajudam a resolver o caso.


- A ajuda profissional também inclui ajuda psicológica

Tanto o estupro quanto a falsa acusação causam traumas psicológicos fortes.


Por Marcio Strzalkowski

Força e Honra!



Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page