top of page
  • Foto do escritorMarcio strzalkowski

Braddock – O Super Comando

Chuck Norris, porra!

Preciso dizer mais alguma coisa?


Vamos a mais um review Machista!

Braddock – O Super Comando (Missing in action 1984) Dirigido por Joseph Zito escrito por James Bruner O filme já começa no meio da ação de guerra. Onde soldados americanos enfrentam os socialistas no Vietnã. Temos helicópteros fazendo a retirada dos soldados que foge da artilharia pesada socialista dos vietcongues enquanto um soldado se destaca enfrentando a ameaça e resgatando os soldados americanos. James Braddock, interpretado por Chuck Norris! Uma das cenas que dá o tom do filme é justamente neste começo. Onde Braddock definitivamente decide não abandonar nenhum soldado e volta para lutar. Em pouco tempo dois soldados são cercados e um deles é gravemente ferido a tiros. Braddock vai ao socorro deles, mas acaba sendo ferido com uma rajada de tiros de AK 47 no peito. A próxima coisa que Braddock presencia são os dois soldados caídos e sendo mortos pelos socialistas e suas baionetas. Sem munição, Braddock puxa os pinos de suas duas granadas e se joga dramaticamente para vingar os seus soldados. A próxima cena mostra Braddock acordando e sua cama. Mas será que foi só um sonho? Não. São todas lembranças que se tornaram pesadelos há muito tempo. Os soldados mortos, a retirada e o fato de Braddock ter sido nocauteado pela explosão das granadas. Coisa que faz todo sentido em se tratando de Chuck Norris! O seu próximo pesadelo o mostra justamente como um prisioneiro de guerra junto há outros soldados. É a lembrança vivida de uma tentativa de resgate. Mas o General Socialista Trau (Interpretado por James Hong, que interpretou o David Lo Pan em Aventureiros do Bairro Proibido) decide se vingar matando um soldado americano na frente de Braddock. Braddock então levanta o colega ferido, o coloca nos ombros e o carrega. Parece uma cena boba, mas tem todo um significado profundo de que um guerreiro não deixa os amigos pra trás!

O contexto da trama política

Os filmes da saga Braddock tem sim todo um contexto político baseado em um conflito real, suas implicações e consequências. O Vietnã foi dominado por socialistas, os verdadeiros vilões de qualquer aula de história decente. Mas o seu professor de história socialista nunca vai admitir isso pois, é um sem vergonha capaz de ir na sua sala de aula com uma camisa do Chê Guevara, do Karl Marxs, do Lenin, Fidel Castro ou até do Stalin. A doutrinação é real.

Os socialistas mostrados no filme mantém prisioneiros de guerra e não se importam nem um pouco com direitos humanos. Tanto que Braddock se apresenta como um homem livre em Ho Chi Minh para denunciar que ainda existem campos com soldados prisioneiros e se depara com presos políticos que foram claramente torturados para denunciar Braddock como criminoso de guerra.


Em busca da verdade Para quem gosta de games como SplinterCell ou Metal Gear, esta sequencia mostra muito bem a atividade de ação furtiva onde Braddock sai pela janela do hotel e vai se esgueirando pelas ruas de Ho Chi Minh até chegar onde o General socialista Trau está. Braddock encurrala Trau em sua própria cama, coloca uma faca em seu pescoço e lhe pergunta onde estão os prisioneiros de guerra. Com a faca no pescoço, Trau confessa onde estão os prisioneiros. Braddock então o solta e decide sair deixando Trau viver. Mas Trau alcança a arma que estava sob seu travesseiro e tenta acertar Braddock, que retribui a traição jogando a sua faca no bucho do socialista. Temos então a sequencia de perseguição e fuga de Braddock pelas ruas de Ho Chi Minh. Embora os socialistas tenham seguido Braddock até o seu hotel, ele ainda consegue um álibi se jogando na cama da agente Ann da Embaixada Americana (interpretada pela atriz Lenore Kasdorf, conhecida por participar de várias séries americanas). O planejamento Braddock decide encontrar o velho amigo Tuck (M. Emmet Walsh) para alugar um barco, armas, um piloto de helicóptero para fuga e então investir numa missão suicida para encontrar os prisioneiros. Uma das coisas mais legais no filme além das cenas de ação são os métodos de negociação de Braddock. Quando encontrou o seu amigo Tuck, Braddock fez bom uso de te-lo encontrado em uma legitima briga de puteiro e calmamente deixa o amigo apanhar para que baixe o preço do aluguel do barco, só intervindo quando chega no preço mais barato! Ou a negociação nada sutil pelo preço do bote com armas depois.


O desfecho da trama Braddock é seguido de perto pelos socialistas que fazem de tudo, inclusive atentados que atingem pessoas inocentes como mulheres e crianças. O que culmina numa sequencia de fuga para o barco onde Braddock e Tuck são perseguidos. Temos então uma boa cena de ação onde Braddock toma um caminhão e encara os socialistas de frente! Uma cena rápida e foda é quando podemos ver um dublê entrando em um carro segundos antes do caminhão passar arrancando a porta do veiculo! Braddock e Tuck consegue fugir para encontrar os soldados. Infelizmente, esta também é a hora que eu paro de contar sobre o final dos filmes. Afinal, o filme ainda tem muitas surpresas agradáveis das quais não farei spoiler. Fica a minha recomendação para juntar os amigos, tomar umas cervejas e aproveitar este filme foda. Vejo vocês no inferno!


A mensagem machista do filme O filme todo gira sobre um ideal machista de responsabilidade, do respeito e dos laços de amizade que Braddock mantém com os companheiros de farda mesmo sem conhecer os prisioneiros que encontrará. Um filme sobre o valor da amizade que não tem frescuras e que mostra Chuck Norris como uma máquina de matar socialistas. Um filme que enfia o dedo sujo na ferida dentro do cu do seu professor de história socialista! Um filme para lembra-lo de que os ídolos socialistas dele são genocidas de estimação enquanto que os seus ídolos são Chuck Norris, Clint Eastwood, Sylvester Stallone e Arnold Schwarzenegger, porra! Curiosidades! Braddock – O Super Comando influenciou completamente a maioria dos filmes de ação dos anos 80. Especialmente Rambo 2 – A Missão! Que copiou toda a história de um soldado invadir sozinho o Vietnã para resgatar prisioneiros de guerra um ano depois de Braddock nos cinemas! Outra curiosidade é o fato de um certo dublê creditado como J. Claude Van Damme antes da fama. Mas a melhor curiosidade é o fato de que suas continuações terem sido filmadas juntas, mas sem cronologia nenhuma. Assim, cada filme pode ser visto e apreciado separadamente.


Por Marcio Strzalkowski

Força e Honra!

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page