top of page
  • Foto do escritorMarcio strzalkowski

Batman Begins - Um Filme Machista

Como todos os meus 7 leitores sabem, para entender o verdadeiro conceito de machismo temos que voltar no tempo resgatando quais foram os valores que formaram o ideal de comportamento masculino. E depois comparar com os valores que formam o ideal masculino hoje.

Se no passado nós temos homens comuns cheios de falhas cujas atitudes os tornaram os heróis como ideal masculino de valores como Homero, Perseu, Belerofonte, Rei Arthur e Sherlock Holmes. Hoje nós temos em nossa cultura um ícone chamado simplesmente de Batman! E hoje vou falar desde grande personagem através do filme Batman Begins.

E se por cima você vê apenas um filme de super herói, se olhar atentamente perceberá que é muito mais do que isso. Vamos a um review machista de outro filmaço!


Batman Begins (2005)

Dirigido por Christopher Nolan

Escrito por David S. Goyer e Christopher Nolan


O Filme começa mostrando o pequeno menino Bruce e sua melhor amiga Rachel como crianças brincando com um verdadeiro achado arqueológico de uma antiga ponta de flecha. É um objeto quase mágico de fascínio para as crianças, o que faz o pequeno Bruce pegar o objeto, gritar “achado não é roubado” e sair correndo. A pequena Rachel sai correndo atrás dele e de repente Bruce cai em um buraco. Um grande buraco, profundo. Um poço abandonado. Sozinho e com medo, o pequeno Bruce de 8 anos percebe que não está sozinho no poço. Primeiro, o pequeno Bruce escuta o chamado deles e depois eles aparecem vindos das trevas. Morcegos.


Tudo o que você acha sobre Batman será destruído!

E então Bruce acorda. Ele está todo barbudo e maltrapilho em uma prisão chinesa. Bruce Wayne está preso por roubo e a fila do almoço está cheia de outros criminosos tentando mata-lo. Um gordo enorme o cumprimenta com uma cabeçada na testa e diz “Isto não é comida, isto não é uma prisão. Isto aqui é o inferno e eu sou o demônio”. Bruce Wayne recobra os sentidos e responde caindo na porrada: “você não é o demônio, você é pratica”.

E então podemos ver a primeira cena de ação do filme. Onde podemos ver cortes rápidos e movimentos caóticos difíceis de se entender. Mas que também mostram Bruce Wayne se jogando na lama, batendo com muita raiva e quebrando a perna de um bandido. Vendo aquela briga, um dos guardas chega atirando pra cima e removem Bruce para a solitária. Para proteção, mas Bruce grita que não precisa de proteção e recebe uma resposta: Proteção para eles!


O filme vai calmamente quebrando cada expectativa sobre o personagem para então fundamentar a construção psicológica pela qual Bruce passará na sua própria jornada do herói. Para isso, Bruce é visitado dentro da prisão por um homem misterioso chamado Ducard, o qual propõe a Bruce um treinamento especial e um rumo na vida. A Liga das Sombras. A partir deste momento o filme é entrecortado entre o presente e o passado para mostrar A Jornada do Herói de Bruce Wayne. Um pacto com a Liga das Sombras é um pacto com o demônio, um pacto com Ra’s Al Ghul. Nome que significa A Cabeça do Demônio.


Porque caímos?

Toda a tragédia de Bruce Wayne começa com a premissa de Fausto, a obra prima escrita por Goethe e que mostra um brilhante médico amargurado pela perda e vendendo a sua alma ao Diabo para ter uma cura para todos os males do mundo. A obra é assustadora para o pequeno Bruce especialmente pela visão de atores vestidos de morcego. E quando seu pai percebe isso, ele decide tirar o seu filho da Opera.

Saindo do Teatro Monarca para a calçada do Beco do Crime, Bruce Wayne e seus pais Thomas e Martha Wayne se deparam com um assaltante comum que aponta uma arma e exige a carteira, relógio e joias. Thomas tenta acalmar a situação e acabar tudo aquilo sem violência. E em poucos segundos tudo dá errado com o assaltante atirando e matando Thomas e Martha. Em suas ultimas palavras, Thomas Wayne diz ao pequeno Bruce para ele não ter medo. Umas das poucas obras onde Thomas Wayne dirige ultimas palavras para seu filho.

A partir do momento da morte traumatizante de seus pais, Bruce entra num espiral de queda. Ele perde os pais e com o passar dos anos perde toda a esperança de justiça, de um rumo para sua própria vida e por muito tempo ele mesmo se perde na raiva. As únicas pessoas que se importam com ele são sua amiga Rachel e seu mordomo Alfred.


Vingança e justiça

Uma pequena parte adicionada no filme à sua história é o fato de que Bruce Wayne teve toda a oportunidade do mundo de se vingar. Dentre tantas obras que retrataram Bruce Wayne obcecado com vingança, obras mostrando Bruce investigando minuciosamente o caso e até obras mostrando Batman abandonando tudo o que acredita para matar o homem que matou seus pais: Joe Chill.

Em Batman Begins, Joe Chill foi preso na mesma noite. Passou anos na cadeia e mesmo assim, Bruce cresceu com raiva. Até o dia em que descobriu que Joe seria solto em troca de delatar os crimes que seu companheiro de cela falou: O Gangster Falcone. Chefe do submundo de Gotham City.

E então o jovem Bruce Wayne vai até o tribunal ver o assassino de seus pais ser solto pela justiça. No julgamento, Bruce não disse nada, apenas saiu do tribunal. Na saída de Chill, Bruce se aproximou dele com uma arma na mão para finalmente mata-lo. Bruce chegou muito perto de matar o homem que matou seus pais. Mas em um segundo outra pessoa vem e o mata impiedosamente, uma mulher. Rachel decide pegar Bruce pelo braço e o levar daquele lugar. Ela diz: Venha Bruce, não precisa ver isso. E Bruce responde:

- Sim, eu preciso.


No carro, Bruce mostra que estava armado e pretendia matar Joe Chill. E Rachel fica tão furiosa que desfere vários tapas no rosto de Bruce. Podemos ver claramente o empenho dos atores nessa cena com a atriz Katie Holmes esbofeteando o ator Christian Bale. Rachel decide levar Bruce pelas ruas pobres de Gotham City para mostrar as consequências da criminalidade e corrupção jogando seres humanos nas sarjetas da pobreza e da miséria. E então Rachel leva Bruce para o restaurante onde Falcone em pessoa estaria jantando e o desafia a entrar para agradecer pela morte de Joe Chill.


E Bruce aceita.

Ele desce do carro, entra no restaurante e diz a Falcone que não tem medo dele. Apenas para ter um choque de realidade. Falcone explica que seu poder não vem do dinheiro, mas do medo. Que Bruce não faz ideia do que é ter medo até entender que quem estaria em risco seriam Alfred e Rachel. Que naquele restaurante, em meio a políticos e juízes, Falcone não teria nenhum problema em meter uma bala na cabeça de Bruce e depois matar seus amigos. O seu verdadeiro poder é o medo, algo que Bruce não pode comprar. Depois disso, Falcone manda seus capangas darem uma boa surra em Bruce.

Essa é a queda de Bruce Wayne, o filme faz uma verdadeira demolição com a, péssima, motivação de vingança. Ao passo que mostra como Bruce Wayne não tem poder nenhum para mudar as coisas ao não entender os perigos pelos quais os seus amigos e as pessoas de Gotham passavam. Que ele não tinha o que fazer contra alguém que usa o medo como arma.


Aprendendo a se levantar

Bruce Wayne decide abandonar tudo e todos. Sua riqueza, amigos e fama. Viaja para outros países para viver esse choque de realidade. Mora nas ruas, tem que roubar para sobreviver, convive com criminosos. Vive na miséria e pobreza. E se a parábola do abismo pode ser usada para explicar alguém, então podemos afirmar que Bruce desceu o abismo sem nunca se corromper.

Bruce Wayne é preso por tentar roubar uma empresa que era dele mesmo e aceitou ir para a prisão por isso. Conviveu anos com os bandidos e reconstruiu toda a sua noção de moral e justiça. Até ser encontrado por Ducard, Liam Neeson.

A sua próxima etapa de sua jornada seria o treinamento no Tibet com a Liga das Sombras. Mas não se engane, Bruce estaria enfrentando a morte dentro das paredes do templo. Exausto, Bruce é derrotado. E a derrota mostra a Ducard como trabalhar com Bruce.

Bruce Wayne então aprende os princípios de um ninja, um assassino silencioso especialista em furtividade, espionagem, sabotagem, luta corpo a corpo e outras habilidades. Durante os treinos, Bruce e Ducard formam um elo de mestre e aluno. Muitas partes do passado de Bruce Wayne são narrações de sua vida para Ducard. Uma das lições mais importantes que Ducard ensina é que Bruce deveria sempre prestar atenção ao lugar que o cerca. Lição que Bruce aprende quase morrendo de hipotermia.


A ultima lição

A consagração na Liga das Sombras se dá por um desafio onde Bruce precisa usar o vapor tóxico de uma flor que induz os medos mais profundos da pessoa. Neste desafio, Bruce enfrentar seus medos enquanto enfrenta Ducard. O maior medo de Bruce é uma fobia que ele adquiriu durante a infância, quando caiu no poço. O medo profundo de morcegos.

O desafio de Ducard serviria para testar o foco de Bruce ao desafio enquanto enfrentava também seus medos. Ducard ataca Bruce e logo um grupo de ninjas entra no meio. Fazia parte integral do desafio que Bruce descobrir qual dos ninjas era Ducard. Se trata então de um desafio físico, mental e psicológico.

Bruce percebe que está ferido no braço e decide usar isso a seu favor. Usa a sua espada para cortar o braço de outros dois ninjas, criando uma armadilha para Ducard, que procura por Bruce justamente pelo ferimento no braço. Bruce engana Ducard e vence. Existe um rosto cheio de orgulho debaixo da mascara de Ducard.


Bruce venceu o desafio físico, mental e psicológico. Agora só falta o desafio pela alma.

A Liga das Sombras cobra de Bruce Wayne que mate um assassino para provar seu comprometimento. E assim poder realizar o plano de Ra`s Al Ghul de se infiltrar em Gotham e purgar a cidade em um ataque terrorista. Bruce, que anos antes queria matar o assassino de seu pai para ter vingança, se nega a matar este homem sem justiça. E desafiando a vontade do demônio, Bruce deve lutar ou morrer pelo que acredita.

Bruce é obrigado a lutar pela sua vida contra um exercito de ninjas tão bem treinados quanto ele. E embora muitos críticos reclamem ao ver Bruce causando a morte de tantos inimigos, vale lembrar do principio de legitima defesa. Na luta, Ra`s Al Ghul morre quando o teto desaba e Bruce só tem tempo de salvar seu mestre Ducard.


Voltando dos mortos

Depois de todos estes anos, Bruce Wayne volta para Gotham como um novo homem. Reconstruiu e redefiniu tudo o que acreditava sobre moral, ética e justiça. Tinha o treinamento, os métodos e a vontade. Mas ainda tinha que reconquistar tanto a empresa da família quanto traçar um plano de ação.

A sua volta é um novo arco de sua vida com novos personagens e situações que precisam da atenção de Bruce antes de entrar em ação. Um dos personagens mais legais é justamente Lucius Fox. Funcionário altamente qualificado das empresas Wayne que foi esquecido no setor de pesquisa e equipamento. Lucius Fox é interpretado pelo grande ator Morgan Freeman e consegue ser um personagem inteligente e carismático que decide ajudar Bruce Wayne. Uma de suas falas mais interessantes ocorre depois que ele percebe que Bruce está pegando equipamentos suspeitos.

- Senhor Wayne, do meu conhecimento, tudo isso já é do senhor.

Mas ao perceber que alguns equipamentos são levemente suspeitos demais como uma armadura de 90 mil dólares, um tecido que se torna um paraquedas capaz de planar e um tanque Tumbler. Lucius Fox apenas comenta:

- Senhor, se não me contar o que planeja, não vou poder mentir quando me perguntarem. Mas não pense que me engana.




O detetive

Sua volta a Gotham também consiste em um ponto que o próprio Bruce nega durante a trilogia, Bruce Wayne é um bom detetive que investiga a fundo os criminosos e corruptos de Gotham. São micro cenas que mostram Bruce estudando documentos, fazendo anotações e investigando em quem pode confiar e em quem não pode. São cenas tão pequenas que o espectador é completamente enganado quando Bruce Wayne é questionado por outros personagens. Ele finge que não sabe de nada!

Uma das cenas mais simples mostra Bruce disfarçado como um mendigo tirando fotos de Falcone com um juiz enquanto eles tramam o assassinato da amiga de infância de Bruce, a advogada idealista Rachel.

Toda essa questão de corrupção e máfia faz com que Bruce só consiga confiar em um só homem na policia de Gotham, o Tenente James Gordon. O que leva a uma cena simples sobre Bruce entrar sorrateiramente no escritório de Gordon para conversar com ele sobre a corrupção de Gotham. Gordon explica que não poderia lutar contra a corrupção já que ele seria apenas um policial contra todo o sistema. Ao qual Bruce só responde:

- Agora somos dois.


O Morcego

O filme fez questão de construir todo um cenário narrativo de um jovem Bruce Wayne passando pela dor da perda até o desejo de vingança, da raiva até entender o conceito de justiça, do treinamento físico ao preparo mental. Tudo para finalmente consolidar um personagem que seria capaz de lutar contra o crime. Mas Gotham ainda precisava de mais.

A construção narrativa do filme mostra Gotham como uma cidade movida por corrupção e dominada por mafiosos que usam o medo. E Bruce usaria o medo como forma de lutar contra o crime.

Durante uma entrega simples de drogas nas docas de Gotham, os bandidos são surpreendidos por um vigilante que faz uso recursos vindos diretamente de um bom filme de terror. Uma criatura da noite sorrateira e vislumbrada de relance. Bandidos se desesperam e correm deixando trilhas de urina de tanto desespero. Um dos bandidos usa uma sub metralhadora MP5 tentando atingir o estranho invasor. Atira e grita mostrando o quanto é corajoso.

- Onde você está?

- Aqui! – Responde o invasor antes de sumir completamente com o bandido.


Na cena seguinte podemos ver Bruce Wayne fazendo algo que nem mesmo os maiores ícones dos filmes de terror foram capazes de fazer. Jason Voorhees, Michael Myers, O Predador e tantos outros faziam questão de separar as suas vítimas e pegar todos um por um. Aqui, Bruce vai pra cima e arregaça a multidão toda junta na porrada!

O próprio Falcone fica apavorado ao ver a cena e se esconde no seu carro com uma escopeta de cano duplo. Mas a janela do carro é quebrada, Falcone é puxado para fora e um ser de horror puro grita:

- Eu sou Batman!



O respeito às mulheres

Todos os meus 7 leitores sabem como adoro falar sobre filmes machistas apresentarem um ideal heroico e romântico de heróis que protegem as mulheres que amam. E mulheres como Rachel Dawes, interpretada por Katie Holmes, são personagens que muitas vezes representam a voz da razão, a amizade e a paixão. Idealista e justa, Rachel se tornou um alvo para os criminosos de Gotham, em especial Falcone, que manda matar ela.

Rachel é emboscada por dois bandidos na saída do metro, é empurrada por um deles e faz algo quase impensável; Reage! Rachel é corajosa, mas não teria chance contra os dois capangas.

E é nessa hora que Batman aparece, agarra o capanga mais perigoso e enche ele de tanta porrada que o outro é obrigado a sair correndo. É o verdadeiro ideal machista heroico e romântico de proteger a pessoa amada com responsabilidade.

E mais do que isso, Batman entrega as provas finais para condenar o mafioso Falcone. Só Rachel seria corajosa o suficiente para condenar Falcone.


A outra mascara de Bruce Wayne

Com uma vida social quase inexistente, Bruce precisa criar outra mascara. Desta vez, Bruce deveria fingir socialmente que não passa de um playboy sem nenhuma preocupação na cabeça. Deveria andar com carros caros e namorar modelos.

Com isso em mente, Bruce utiliza a sua Lamborguinni Morcielago para ir ao restaurante mais caro com duas super modelos que nem falam inglês e tem uma noite agradável com um bom jantar. Durante o jantar, tem a surpresa de ouvir falar de Batman e de como esse vigilante prendeu Falcone. Estava em todos os jornais.

Bruce chega a ser interrompido pelo gerente ao descobrir que a fonte do hotel não era para o banho de suas acompanhantes. E é nessa hora que ele compra o hotel inteiro e muda as normas da piscina pra se atirar na fonte!

E embora ele realmente se divirta fazendo isso, na saída do hotel ele se depara com Rachel, a única mulher que realmente importa para ele. E no pouco que conversam, Bruce tenta avisar a ela.

- Rachel, por dentro eu realmente sou muito mais do que isso.

Mas Rachel apenas lhe faz um carinho e lhe diz pequenas palavras cheias de significado.

- Não é o que nós somos que nos define, mas o que fazemos.


Espantalho

Apresentado mais cedo no filme, Johnatan Crane é um psicólogo criminal cujo trabalho para a máfia o possibilita fazer estudos nada éticos sobre fobias enquanto livra a cara de criminosos perigosos apenas definindo que eles são insanos e devem ser internados no Asilo Arkham onde podem ser tratados e depois soltos. É interpretado por Cilliam Murphy e curiosamente acompanha toda a trilogia.

Na literatura, o Espantalho é um vilão apavorante e interessante. Aqui não deixa por menos, Crane é frio, calculista, manipulador e esconde um segredo terrível.

Para chegar até Crane, Batman deve investigar por que metade de todos os carregamentos de drogas também carregam um entorpecente desconhecido. Que entorpecente é esse e para quem ele vai?


A interpretação que definiu Batman de uma forma nunca vista no cinema.

Na busca por respostas, Batman precisa interrogar o Detetive Flass. Para isso ele laça Flass pelo pé, levanta ele rapidamente por cinco andares e o interroga como uma voz extremamente grossa parecendo um urro de animal. Essa interpretação extrema redefiniu a imagem de Batman durante a trilogia de Nolan. O Batman finalmente tinha uma identidade única no cinema.


E as respostas?

Os entorpecentes vão todos para Jonhatam Crane e para o Asilo Arkham.


De volta ao Medo

Enfrentando Crane, Batman tem a sua primeira derrota. Crane usa a sua terrível mascara de Espantalho que sozinha não tem efeito nenhum, porém, com o uso de um potente gás do medo que induz a vitima a alucinações poderosas, a mascara se torna a personificação de pesadelo acordado.

O medo domina Bruce enquanto podemos ver outro lado do medo. Alfred, que cuidou de Bruce quase como um filho, chora enquanto resgata Bruce alucinado e quase morto.

Bruce passa dias alucinando. E quando acorda, descobre que Lucius Fox o tratou durante esses dias e sintetizou uma cura rápida para os efeitos.


Enfrentando os medos

Bruce decide então voltar ao Asilo Arkham para enfrentar Crane e saber para quem ele trabalha. A situação se complica pois Crane também é investigado por Rachel. E quando Rachel usa recursos da justiça para exigir respostas de Crane, ele decide que é uma boa hora para apenas levar ela até o porão do Asilo e mostrar o que ele tem feito.

Crane tem jogado drogas na água de Gotham City!

Essa descoberta faz com que Crane faça questão de usar um poderoso alucinógeno em Rachel capaz de mata-la de tanto medo. E é nessa hora que as luzes se apagam, lâmpadas são quebradas e os bandidos se vem sozinhos em um silencio assustador. É nessa hora que os bandidos percebem que estão sozinhos com o Batman.

A cena é muito bem feita, Batman ataca e derruba os bandidos como um verdadeiro monstro de filme de terror. Rápido e assustadoramente. É uma pena que poucas vezes Batman seja mostrado em cenas assustadoras como essa no cinema.

De fato, Quando Crane tenta usar de novo o seu gás do medo, Batman torce o seu braço e usa o gás do medo contra o próprio Crane. Revelando assim o modo como os bandidos enxergam o Batman: Como um Demônio!

E então Batman pergunta para quem Crane trabalha e ele responde um nome conhecido e perigoso: Ra`s Al Ghul!


A saída do Asilo Arkham também é um show a parte, isso porque o Asilo é cercado pela policia! Batman precisa levar Rachel o mais rápido possível para a caverna onde existe uma cura para a toxina do medo. E nessa hora temos uma das melhores sequencias de ação do filme. A fuga com o novo Batmovel, um verdadeiro tanque chamado Tumbler.

E para explicar essa cena de ação, vou explicar as informações contidas nos extras do DVD de Batman Begins. Todos os Batmoveis do cinema foram feitos pelo mesmo artista, mas na hora de fazer o Tumbler, o cara se puxou ao fazer um veiculo real que consegue fazer boa parte do que é mostrado em tela. Durante os testes do veiculo para saber o que pode quebrar ou não, a equipe fez o veiculo pular, manobrar em pistas em alta velocidade e até mesmo atravessar um muro de concreto. E embora tenham sido feitos três ou quatro modelos diferentes para o filme, o mesmo veiculo que passou em todos os testes foi usado em todas as cenas de ação do filme. Menos nas de pulos longos. O Veiculo realmente fez manobras a quase 200 Quilômetros por hora, bateu de frente com veículos da policia, atravessou um muro de concreto e só precisou trocar uma única janela. O equivalente a quebrar uma unha.


Ao final da sequencia, Batman consegue levar Rachel para a caverna onde aplica o antidoto para a toxina do Medo. Salvando a sua vida.


Aniversário Macabro

Bruce Wayne tem tempo de comemorar o seu aniversário e ter uma boa conversa com Alfred sobre o que seria importante para ele. Por um momento, Alfred não entende o que Bruce estava passando e lhe dá o devido puxão de orelha moral sobre estar apenas se exibindo na TV. E Bruce revela que era tudo para salvar Rachel.

Alfred questiona sobre Bruce celebrar o seu próprio aniversário com amigos da família, já que ele é tudo o que sobrou do legado de seu pai. Alfred é o único que questiona as motivações de Bruce e isso dá plena oportunidade de Bruce reafirmar o que acredita e o que é realmente importante.

Bruce decide comemorar então a festa, mas é apresentado a um convidado especial: Ra`s Al Ghul em pessoa!

Mas Rhas Al Ghoul não estava morto? Bruce Wayne não o viu morrer? Será que seus métodos sobrenaturais não o possibilitavam vencer a própria morte?

Bruce Wayne vislumbra então que o verdadeiro Ra`s Al Ghul se passou o filme todo por seu mentor Ducard. O qual estava na Mansão Wayne!

A iminente luta poderia matar todas as pessoas presentes, mas Ducard deixa que Bruce explique a situação para as pessoa saírem da Mansão. Nessa hora, Bruce Wayne se finge de bêbado (outra brilhante atuação de Christian Bale) para mandar todo mundo embora! Deixando assim que Ra`s Al Ghul e os assassinos da Liga das Sombras fiquem sozinhos com Bruce Wayne.

Ocorre então o confronto entre Bruce Wayne e a Liga das Sombras onde Ra`s Al Ghul l retribui o favor de Bruce colocando fogo em sua casa e o deixando para morrer. Saindo com a promessa de destruir Gotham City.


Os círculos se fecham

Mais uma vez Bruce Wayne é derrotado e mais uma vez ele deve se erguer. Aprender a levantar. A Mansão Wayne arde nas chamas da tragédia de Fausto. A dor da perda fez Fausto ter um pacto com o demônio e entregar a sua alma pelo bem da humanidade esperando o Demônio cobrar seu preço. Bruce Wayne também foi motivado pela dor da perda e fez um pacto com o Demônio, ser treinado pela Liga das Sombras, mas não aceitou vender a sua alma. Então Ra`s Al Ghul cobrou o seu preço.

Bruce é então levado por Alfred para a caverna. Onde ele coloca mais uma vez a capa e o capuz de Batman.


Quase um filme de Terror

Todo o final de Batman Begins merecia se tornar um filme de terror cuidadosamente separado, prolongado e fechado. Ra`s Al Ghul solta todos os criminosos insanos e perigosos do Asilo Arkham nas ruas de Gotham, depois usa uma arma de micro-ondas para evaporar boa parte da água e liberar a toxina do Medo que Crane desenvolveu.

Durante o surto de pânico, Jonathan Crane abandona a sua sanidade e assume o manto de Espantalho. O medo faz com que as pessoas reconheçam umas as outras como monstros e comecem a atacar umas as outras. Durante o atentado, apenas algumas poucas pessoas estão a salvo dos efeitos. Rachel e Gordon.

E a visão de um homem vestido como morcego não ajuda muito.


E é aqui que eu termino o meu review. Sem contar o final desse fime!

Incentivando que vocês o assistam. Batman Begins é um dos filmes mais importantes sobre a origem de um Super Herói desde Superman de 1978, pois apresenta a ideia em Hollywood que quadrinhos são obras com os próprios méritos com personagens que merecem respeito e histórias com suas próprias qualidades. Batman Begins foi molde de outros filmes parecidos que deram luz a dois universos cinematográficos incríveis.

O primeiro de uma ótima trilogia.


Por Marcio Strzalkowski

Força e Honra!

Posts recentes

Ver tudo

Commenti


bottom of page